23 de maio de 2022
Editorial

Bolsonaro na Rússia: e daí?

Amigos,

Esta semana foi muito… mas muito complicada pra mim. Primeiro a ansiedade da marcação da cirurgia da Vera (minha mulher) que precisava se submeter a uma cirurgia, que nos prendeu no hospital por 3 dias… daí ficou muito difícil pra mim, escrever alguma coisa… no entanto… vou tentar um pitaco no assunto do momento: Viagem de Bolsonaro à Rússia!

A agenda presidencial, aberta a qualquer um via internet, já previa, há mais ou menos um ano, que o Presidente iria visitar a Rússia e a Hungria, e por consequência, seus líderes, Putin e Viktor Orbán.

Foto: Google Imagens – Rede Brasil Atual

Especialmente quanto à viagem à Rússia, o nosso Ministério das Relações Exteriores e o próprio Presidente ficaram numa “banana”.

Diante do atual momento do enfrentamento da Rússia e da Ucrânia, seria prudente o Presidente visitar a Rússia agora?

Devemos analisar dois aspectos:

Opção 1: como a visita estava agendada há mais ou menos um ano, se ele não fosse, poderia estar mostrando ao mundo que ele estava “apoiando” a OTAN, e consequentemente, estaria contra a posição russa no atual conflito.

Opção 2: caso fosse, poderia demonstrar um “apoio à Rússia” no atual conflito.

Duas opções, para apenas uma decisão!!!

Bolsonaro resolveu cumprir a agenda… achei a decisão mais sensata, pois a “não ida” nos colocaria numa situação de confronto com a Rússia, participante do BRICS (Brazil, Russia, India, China e South Africa, em inglês). Temos um acordo comercial a cumprir e que nos interessa sobremaneira.

Sua ida apenas cumpre a agenda programada (sim, agenda programada é pleonasmo), mas é importantíssima para a importação de produtos agro em nosso país. A nossa agricultura, a maior do mundo em exportação, precisa dos fertilizantes russos para produzir mais e mais, e continuar sendo o 1o. do mundo em exportação agrícola.

Quanto à possível invasão da Ucrânia pela Rússia, é um problema da Rússia, da Ucrânia e da OTAN. O Brasil – apenas um “parceiro preferencial” da OTAN – nada tem a ver com isso, ao contrário, é sim um importante parceiro comercial da Rússia através do BRICS, mencionado acima. Devemos apenas aguardar os acontecimentos. Sem nos posicionar, assim como têm feito a maioria dos países até agora.

As Redes Sociais, pródigas em “Memes” – diante da notícia que a Rússia não iria invadir a Ucrânia e que a Rússia estava reduzindo seu quantitativo de tropas na fronteira – começaram a espoucar posts creditando a Bolsonaro o recuo da Rússia, o retorno de tropas… qual é, alguém acha que Bolsonaro tem este poder? Em apenas uma reunião de 45 minutos?

Outros líderes mundiais, alguns nem tão líderes assim, tentaram a conciliação e não tiveram sucesso. Outros tentaram apenas para ficarem bem perante a mídia.

Óbvio que numa reunião de mais ou menos 45 minutos Bolsonaro – que não possui qualquer poder de convencimento por argumentação – jamais conseguiria um recuo russo no problema.

Afinal, qual é o verdadeiro foco do problema?

Pra mim o foco está claro… a amiga Ligia Cruz, nossa colunista, em sua coluna de 11/2, explicou com detalhes toda a “trama”, mas na minha opinião o que fica claro, é que a Rússia não quer que a Ucrânia entre na OTAN, simplesmente porque não quer que a OTAN tenha uma base em uma de suas fronteiras… seria um primeiro passo para a OTAN convidar os demais ex- participantes da antiga URSS para seguir o mesmo caminho, cercando assim toda a fronteira sudoeste da Rússia.

Não acompanhei a evolução do “problema”, tendo em vista, o local e o estado de minha mulher no hospital… optei por focar neste assunto apenas para concluir um Editorial, colocando a opinião do Boletim.

Enfim, Bolsonaro não é causa e nem consequência deste problema!!!

A diplomacia, ela sim, tem que ser o caminho efetivo!!!

author
Advogado, analista de sistemas e editor do site.

4 Comentários

  • Rute Abreu de Oliveira Silveira 18 de fevereiro de 2022

    Boa noite, amigo Valter.
    Mesmo com toda a preocupação com a Vera, você continuou firme no seu trabalho. Parabéns!
    Gostei muito do editorial, simples, direto e objetivo.
    Concordo com você sobre a decisão do presidente de manter a sua ” agenda programada”.
    Bolsonaro não é causa nem consequência desse problema, simples assim. Gostei muito disso.
    A diplomacia jamais deve ser colocada em segundo plano, você está certíssimo.
    Parabéns pela “nova cara” do Boletim.
    Arrasou!
    Rute Silveira

  • Rute Abreu de Oliveira Silveira 18 de fevereiro de 2022

    Valter, só estranhei não achar como dar um like nos artigos lidos…
    Eu que não encontrei, ou o like e o “deslike” saíram de cena??!!
    Rute Silveira

  • Priscila Chapaval 20 de fevereiro de 2022

    Parabéns Valter! Gostei muito desse novo formato do O Boletim. Estimo melhoras a Vera e que tudo esteja bem.
    Um grande abraço e sucesso sempre!
    Ah…prometi a mim mesma que não falaria mais sobre politica.

    • Administrador 20 de fevereiro de 2022

      Obrigado, amiga… vc faz parte deste sucesso.
      bja
      Valter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.