23 de maio de 2022
Ligia Cruz

Liberdade x Maduro

Imagem: Arquivo Google
https://portal.comunique-se.com.br/apos-prisao-na-venezuela-jornalistas-da-record-tv-voltam-ao-brasil/

Liberdade de imprensa não é direito para Nicolás Maduro. Aliás liberdade nenhuma.
Única coisa que se “socializa” na Venezuela é a fome, na sua forma mais cruel.
O povo, privado de receber ajuda humanitária internacional, busca restos de comida nas lixeiras enquanto o todo-poderoso bolivariano queima os caminhões com alimentos dos países vizinhos e se empanturra de vaidade e fel.
Se Maduro é um ser desprezível e calhorda, não menos é quem o defende. Quem inventa as mais estapafúrdias desculpas para apoiá-lo está no limbo da história e permanecerá nele contando as vítimas de sua estupidez.
Esse arremedo de humano em seus chiliques de ódio está aprisionando correspondentes da mídia estrangeira e repórteres compatriotas, para estancar o verbo daqueles que podem contar ao mundo quem ele é. Alguns estão desaparecidos.
Há todo um empenho em libertá-los, mas não o Brasil. Aqui os jornalistas da esquerda partidária se fazem de mortos e não se importam nem um pouco com as atrocidades que estão sendo praticadas no país vizinho, enquanto as fronteiras com o Brasil e a Colômbia sangram.
Gente sendo ferida, morta ou fugindo da desfaçatez de um caudilho de folhetim que pisoteia o coração de seu povo e ainda baila.
Reverenciado só mesmo pela trupe de imbecis que o cerca.
Vão cair juntos. O exército já está desertando nas fronteiras com pedidos de asilo político.
Maduro vai cair. Questão de tempo. E a mídia vendida daqui continuará acreditando na Unasul.

Jornalista, editora e assessora de imprensa. Especializada em transporte, logística e administração de crises na comunicação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.