Wine Spectator TOP 100 2016

A lista anual dos melhores vinhos, publicada pela revista Wine Spectator, é o informe mais esperado pelos consumidores de vinhos. Atualmente é mais importante que as notas do Robert Parker, o que demonstra como evolui este mercado enológico.
Para os brasileiros, o significado real fica na faixa das curiosidades. A maioria dos vinhos listados não está à venda por aqui e, os poucos que estão disponíveis, são de outras safras. Nem sempre são vinhos caros, mas a regra do mercado brasileiro é esgotar a safra em estoque antes de importar uma nova.
Nesta edição, os vinhos norte-americanos dominaram o cenário com 32 indicações.
A tabela, a seguir, completa a informação
top-3-b-min

Os 10 Mais

100

top-10-min
Seis vinhos americanos, dois italianos e dois franceses. Oito tintos e dois brancos. Entre as uvas, nas três primeiras colocações temos um Cabernet Sauvignon, um Chardonnay e um Pinot Noir.
O primeiro francês, um branco doce, está na 4ª posição. Um Sauternes da região de Barsac, no distrito de Graves, Bordeaux. O segundo francês, também bordalês, é um branco seco.
Da Itália foram premiados um Barbaresco, produzido a partir da Nebbiolo, e o tradicionalíssimo Super Toscano, Tiganello, hoje um vinho icônico. Interessante observar o seu preço médio no mercado norte-americano: US$ 105.00, cerca de R$ 360,00, preço mais que justo por um produto de alto nível, bem diferente do preço pedido por aqui, no seu importador, R$ 881,00 (mais frete).
Dois tipos de corte se destacaram: um bordalês, o Ridge Monte Bello, e uma variação do “GSM” o Machete da Orin Swift (Petit Syrah, Grenache e Syrah).
Os Sul-americanos
Quatro vinhos argentinos e três Chilenos. Destaque para o sempre bom Don Melchor, na 33ª posição, melhor sul-americano, e o Zuccardi Q Cabernet Sauvignon, na 55ª posição, o melhor argentino.
Novamente chamamos a atenção para as diferenças de preço. O vinho chileno sai por US$ 125.00 (+/- R$ 400,00) contra os R$ 700,00 cobrados nas melhores lojas. O vinho argentino, conhecido por sua boa relação qualidade x preço, sai por US$ 20.00 (+/- R$ 70,00). Pode ser comprado por um pouco menos de R$ 200,00 no Brasil.
Sem comentários…
As Surpresas
Áustria, Grécia e Israel.
Vinhos austríacos sempre foram muito bons, mas pouco conhecidos no mercado mundial, talvez devido às pequenas produções, o que não os tornam um produto de consumo mundial. A uva branca Grüner Veltliner brilha por lá.
O Domäne Wachau Grüner Veltliner Smaragd Trocken Wachau Terrassen aparece na 85ª posição.
Da Grécia o vinho premiado na 89ª posição foi elaborado com uma uva branca típica, a Assyrtiko: D. Kourtakis Assyrtiko Santorini Greek Wine Cellars
O vinho israelense, produzido na Galiléia, é o Galil Mountain Yiron Galilee, um dos vinhos top desta vinícola. Um pouco comum corte de Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah. Ficou com a 93ª posição.
Para os interessados, a lista pode ser baixada neste link:
Saúde e bons vinhos!
Vinho da Semana: uma homenagem aos bons vinhos dos EUA.
top-2-minWente Beyer Ranch Zinfandel – $$$
Este complexo corte californiano traz delicados aromas de ameixa, framboesas e mirtilo. Em boca é harmônico, com taninos suaves, acidez equilibrada e profusos sabores de frutas em compota.
Boa opção para harmonizar com a ave natalina.
Comprar: http://www.vinhosite.com.br/vinho-zinfandel-californiano-tinto-wente-bayer-ranch/p
Ofertas (30% desconto): http://www.vinhosite.com.br/vinhos-da-semana
legenda
 
 
 
 

clubenov16

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *