Sobre militares…

Bolsonaro é capitão. Tarso Genro, idem. A esquerda não votou em Tarso Genro?

Se houve abuso em 64 – sim, presos, mortos – nem chegou perto do que fizeram Fidel e Che Guevara. E quem morreu não foi figurão. FHC, nunca correu perigo ou foi exilado. Chefão das Forças Armadas era titio dele. Foi passear no exterior e era detestado pela turma da USP de outros tempos por acusação de ter denunciado vários colegas. Ele e a turma dos “pelegos do ABC”: Lula+Dirceu+Genoíno. O grupo do MR-8 gaúcho não gostava nada deles…

Mas se renderam. Porque o negócio ficou lucrativo. Bobagem esse papo de igualdade para a sociedade. Eles no topo, uns débeis mentais batendo estaca pra eles e vamos aos negócios: droga, armas e miséria humana sem Educação, Saúde, Cidadania. Igualdade no lixo para o povo. Igualdade no enriquecimento ilícito para a nova casta esquerdopata.

De novo…

Se Bolsonaro é capitão, Tarso Genro, idem. Mas por que então a discriminação? Militar deles pode? Se é militar apoiado pelo povo, não pode?

E nem começamos a fazer a análise de “indenizações” pós regime militar.

Se com o advogado petista Eduardo Greenhalgh, gente que nunca foi presa, ganhou a causa e aquela grana espetacular por mês, os que foram presos e torturados mesmo – sim, houve isso no regime militar – recebem o mínimo. Quanta igualdade, militantes da esquerda!

Mas houve muito mais tortura sob militares de Fidel em Cuba e agora dos Castro. Che Guevara, ministro da defesa, fazia execuções de milhares em um ginásio esportivo. Os líderes da URSS e DDR mandaram Fidel dar um jeito no camarada, porque a notícia corria e a propaganda era negativa.

Assim, Che assinou a carta de demissão, documento guardado por Fidel, que o convenceu a voltar para a guerrilha. E o entregou aos bolivianos.

Quando preso, o Che “corajoso” se cagou todo. Nos documentos na Bolívia há relatos do quanto foi duro transportar o corpo sob aquela fedentina de bosta.

E assim, o esperto Fidel fez o ídolo Che e matou mais e mais…

E vieram Chávez, e Maduro na Venezuela… E a Colômbia e a Argentina com os Kirschner.

E as crianças roubadas e treinadas pelas FARC sob ordens desses aí dos movimentos “sociais” que continuam soltinhos… Inclusive com total apoio de freis “bofes”…

Enquanto isso, esses bocós bate-estaca continuam a berrar como resistência, mas nem sabem dizer o que é mais valia.

Fica a dica…

Bolsonaro: o Brasil precisa de Educação em escolas militares. Tire as crianças das ruas. Crie um decreto que a partir de 6 anos, criança é na escola.

Na maioria dos países desenvolvidos da Europa, isso é obrigatório sob pena dos pais perderem a guarda. Só assim teremos futuro.

Os que ficaram no meio do caminho, como nós infelizmente, passaremos por anos de desconstrução do aparato de dominação que essa esquerda criou.

O MEC precisa de uma limpeza geral! Atitude, Capitão!

Salve o futuro. Salve inclusive os filhos de pais que criam essa geração de monstrinhos de todas as classes sociais e que não permite a eles sentir dor: dopados de tarja preta ou na maconha e coisas piores a qualquer revés.

No mais: artistas e famílias de artistas que dizem que Rock’n Roll não pode ser de direita.

Parem de ouvir rock! O Pink Floyd – David Gilmour e demais processam Roger Waters pelo viés político de uso da obra da banda. Led Zeppelin?
Idem: não estão com a esquerda.

Troquem pelo Pablo Vittar e Preta Fugiu.

Bolsonaro: continue usando a mídia alternativa. Até todos aprenderem a boicotar a tradicional e parar de insistir na redenção da mesma.

E se algum jornalista prestar, que vá para a mídia alternativa. Se permanecerem nesses meios de comunicação calhordas? Boicote!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *