4 de julho de 2022
Adriano de Aquino Colunistas

Já sei, logo dirão: ‘educação é a base do desenvolvimento social’

Ocorre que, no Brasil, educação é tema político parlamentar prioritário apenas para debates infindáveis e teses acadêmicas fofas.

Aqui, temas pontuais e urgentes são entrevados por interesses retrógrados.Como é o caso do Marco Legal do Saneamento, que os partidos de esquerda fecharam questão e votaram contra.

Hoje, as frentes progressistas se uniram para derrubar o veto do poder executivo ao projeto legislativo de distribuição de absorventes higiênicos para as mulheres de baixa renda.

Ainda que a ‘causa’ pareça justa, ela tropeça na realidade social das camadas mais pobres da população. A proposta desconsidera um fator social mais abrangente.

A rede sanitária deficitária – que os progressistas acham mais legal que o Marco Sanitário, afeta a saúde sobretudo das mulheres pobres, que habitam regiões desprovidas de rede de esgoto e vivem lado a lado com lixões a céu aberto.

A sina nacional do ‘ovo e da galinha’ – o que veio primeiro? É mãe da demagogia.

Não faz muito tempo, em 2019, a revista National Geographic publicou uma matéria sobre a perspectiva alarmante de danos ambientais advindos da indústria de plásticos. Os absorventes íntimos estão entre os produtos relacionados.

Só gente muito alienada acredita nas boas intenções de ativistas ensandecidos e parlamentares em busca de votos.

O fato é que para essa gente só importa o discurso e a militância.

Afinal, problemas estruturais eternamente adiados, é fonte de inspiração dessas gangues de vampiros sociais.

Camadas de demagogia.

Tabata Amaral apresentou um Projeto de Lei que adiciona mais uma camada de custo para o contribuinte.

Sua proposta tem um pé apoiado na indústria de produtos farmacêuticos e cuidados pessoais. O outro pé ela tenta apoiar na base eleitoral das ‘pessoas com vagina que menstruam’.

O pé direito da Tabata recebe bons tratos dos financiadores da sua campanha. Alguns com interesses na indústria que fabrica absorventes higiênicos para mulheres.

O pé esquerdo da parlamentar pisa no chão da real política nativa com toques da velha demagogia clientelista, em busca de votos das mulheres de baixa renda.

Na verdade, esse beneficio já se encontra incluído no rol de Programas de Auxílio Social, como esclarece Paula Felix no post abaixo:

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 Mam/ Rio de Janeiro, Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da Funarj, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /Funarte e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.