6 de julho de 2022
Adriano de Aquino

Diário de Guerra

Imagem: Arquivo Google – Ultimo Segundo – iG

Ainda que grupos de Direitos Humanos finjam não ver, a guerra travada no Brasil – com saldo de 65 mil mortes ano – segue firme na escalada da violência.
Na madrugada dessa quinta feira, em Guararema, na Grande São Paulo, um batalhão com 25 criminosos fortemente armado investiu contra duas agências bancárias.

Houve resistência das forças do estado e 11 combatentes do crime tombaram mortos.

Com a derrota a policia resgatou do contingente sete fuzis, quatro pistolas, duas carabinas calibre 12 e vários explosivos.
Do outro lado do mundo, em guerras declaradas, não ocultas pela hipocrisia, não há, até o momento, registro de mortos em combate na Síria.
No dia 30/03, tanques israelenses atacaram bases militares da facção Hamas. O Exército de Israel informou que a ação é uma resposta ao lançamento de cinco foguetes a partir da Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas.

Israel informa que não há registro de mortes em seus territórios.
Enquanto isso, a guerra oculta no Brasil, vai semeando o pânico e enchendo cemitérios.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 Mam/ Rio de Janeiro, Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da Funarj, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /Funarte e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.