A noite dos Leopardos e as Trevas dos Jumentos

Depois de meses, volto a escrever aqui. Volto não, escrever muito menos. Vou apenas compartilhar um texto perfeito que, à moda de Millôr, apelidei de “Fábula Fabulosa”. Infelizmente a autoria é anônima, como certas denúncias…

Ah! Fiz apenas algumas humildes correções ortográficas.

Recebi, entre 1069 textos, no WhatsApp, mais uma daquelas pérolas apócrifas que, com raro prazer, são dignas de brindar leitoras gostosas e leitores Canalhas.

O jumento disse ao leopardo: “A selva é azul”. O leopardo respondeu: “Não, a selva é verde”. A discussão aqueceu e os dois decidiram submetê-la à arbitragem do leão, o Rei da Selva.

Antes mesmo de chegar à clareira, onde o leão estava em seu trono, o jumento começou a urrar: “Sua Alteza, é verdade que a selva é azul?”.

O leão respondeu: “Verdade, a selva é azul”.

O jumento continuou: “O leopardo discorda, me contradiz e aborrece-me, por favor puna-o”.

O rei então declarou: “O leopardo será punido com cinco anos de silêncio”.

O jumento saltou gazela e serelepemente; seguiu seu caminho, contente, repetindo: “A selva é azul”.

O leopardo aceitou seu castigo, mas antes perguntou ao leão: “Sua Majestade, por que me castigou? A selva é verde”.

O leão respondeu: “Sim, a selva é verde.”

O leopardo perguntou: “Então porque me castigou?”.

E o leão: “Isso tem nada a ver com a questão de saber se a selva é azul ou verde. O castigo é porque não é possível que uma criatura corajosa e inteligente como você perca tempo discutindo com um jumento, e ainda por cima venha me incomodar com essa questão”.

Moral da história: a pior perda de tempo é discutir com o tolo e fanático que não se importa com a verdade ou a realidade, apenas com a vitória de suas crenças e ilusões. Nunca desperdice tempo com argumentos que não fazem sentido. Existem pessoas que, por mais provas que apresentemos, não têm capacidade de entender. Outras são cegas pelo ego, ódio e ressentimento, e tudo o que eles querem é ter razão mesmo sem ter.

Quando a ignorância grita, a inteligência fica em silêncio. Sua paz e sossego valem mais.

Na mesma linha da fábula do Jumento X Leopardo, outro exemplo, mais simples, irônico e fatal:

O “gafanhoto” pergunta:

  • “Mestre, qual o segredo da felicidade?”.
    O mestre responde:
  • “Não discutir com idiotas”.
    No que é retrucado:
  • “Não concordo que esse seja o segredo”.
    E o mestre conclui:
  • “Você tem razão”.

PS: Para os que não gostaram desta Fábula Cabulosa, mil perdões. Vocês têm razão. A selva, como a Terra de Gagarin, é Azul.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *