6 de julho de 2022
Turismo

Orvieto, um charme na Úmbria

A linda Orvieto. (Foto: pt.wikipedia.org)

INTRODUÇÃO

Ela está localizada na região da Úmbria, a 100 km de Roma. Tem cerca de 350 m de altitude e foi construída sobre um platô vulcânico. Assim é Orvieto, uma cidadezinha com pouco mais de 20 mil habitantes, cercada por muralhas antigas, e que passou despercebida dos turistas por muito tempo, apesar de ser avistada da autoestrada A1, que conecta Roma à Toscana.

É mais uma das inúmeras pequenas e encantadoras cidades da Itália. Mas Orvieto tem características muito peculiares, como a própria situação geográfica onde se encontra.

UM POUCO DA HISTÓRIA

Orvieto é comumente chamada de cidade medieval, mas, muito antes dessa fase, ela foi uma cidade etrusca. Na realidade foi a capital dos etruscos nos séculos VI e VII AC. No século III AC foi anexada ao Império Romano, que demorou dois anos para conquistá-la por causa de sua proteção natural, no topo de um rochedo. Infelizmente os romanos destruíram a maior parte das evidências da civilização etrusca.

Na Idade Média Orvieto se transformou numa cidade rica, com sistema político organizado.

A cidade teve um morador ilustre, o Papa Urbano IV, que morou em Orvieto e em Viterbo, alternadamente, durante seu curto papado (1262-1264). Ele teve papel importante na construção da catedral, comissionada por ele, e outras construções de destaque na cidade.

PRINCIPAIS ATRATIVOS

1 – Catedral de Orvieto (Duomo):

É uma das mais lindas catedrais da Itália. A construção começou em 1290, mas levou três séculos até ficar pronta. Tem características de arquitetura românica e barroca, provavelmente pelo tempo extenso para ser finalizada. A fachada do Duomo é espetacular, e lembra muito a de Siena.

A maravilhosa fachada do Duomo. (Foto: Mônica Sayão)
O interior é mais austero. (Foto: Mônica Sayão)

Seu interior é bem mais austero e simples do que sua fachada principal. O destaque fica por conta das capelas laterais, em especial a Capella di San Brizio. É nela que estão, entre outros, o afresco de Luca Signorelli que retrata o Juízo Final, considerado sua obra-prima. Diz a lenda que Michelangelo teria se inspirado nesse afresco para a concepção do seu Juízo Final na Capela Sistina.

Cappella di San Brizio e seus afrescos famosos. (Foto: Mônica Sayão)

2 – Torre do Mouro:

Foi construída por volta de 1200 e simbolizava o poder econômico de Orvieto naquela época. Aliás, essas torres eram muito comuns nas cidades italianas na Idade Média. O melhor exemplo é San Geminiano, na Toscana, onde quatorze dessas torres-residências ainda estão de pé.

Para chegar ao topo da torre, que tem 47 metros de altura, há um elevador para a parte inicial e depois mais 250 degraus. Vale a pena porque de lá há vistas ótimas do centro histórico.

Torre dos Mouros, bem no centro de Orvieto. (Foto: Mônica Sayão)

3 – Poço de São Patrício (Pozzo di San Patrizio):

Uma visita imperdível é a do Poço de São Patrício, construído no século XVI sob encomenda do Papa Clemente VII. Com 53m de profundidade e 13m de diâmetro, tinha a função de fornecer água aos moradores no caso de Orvieto ser sitiada por inimigos.

São 248 degraus em espiral para se chegar ao fundo. Adorei fazer o percurso porque os degraus são amplos e há 70 janelas pelo caminho, abertas para o centro do poço, fazendo da descida uma tarefa bem interessante e nada claustrofóbica.

Lá embaixo é costume atirar uma moeda numa pequena fonte e fazer um pedido. Eu fiz, quem sabe não dá certo?

As 70 janelas do poço fazem a descida ser bem agradável. (Foto: Mônica Sayão)
Lá no fundo está a pequena fonte onde, ao chegar, a tradição diz que o visitante deve jogar uma moeda para ter seu pedido atendido. (Foto: Mônica Sayão)

4 – Fortaleza Albornoz:

Erguida no século 14 no lugar de um antigo templo etrusco, a fortaleza é hoje um parque público com linda vista da Úmbria – espaço perfeito para, após a visita ao Poço de São Patrício, relaxar em uma das muralhas e tirar boas fotos.

Uma ponta da Fortaleza Albornoz e parte da vista do entorno de Orvieto. (Foto: Mônica Sayão)

5 – Subterrâneos de Orvieto:

Fui três vezes a Orvieto mas confesso que nunca visitei os subterrâneos da cidade. Não houve tempo nem vontade dos meus grupinhos de viagem. Sei que é um conjunto de centenas de cavernas, túneis, cisternas e passagens secretas, que poderiam ser usadas em caso de ataque no passado.

Havia também áreas subterrâneas para produção de vinho e criação de pombos, assim a população teria como se esconder e se alimentar numa situação de conflito.

Visitei uma cidade subterrânea dessas na Capadócia, e é muito impressionante.

Para visita guiada aos subterrâneos ou qualquer outra informação sobre ingressos e passeios, há um escritório de turismo bem em frente à catedral (Duomo).

6 – Flanar pela cidade:

Caminhar sem destino por Orvieto é garantia de agradáveis surpresas. A Corso Cavour é a rua principal da cidade antiga, e liga a praça da catedral até a Torre do Mouro. Nela há várias lojinhas simpáticas de cerâmica, delicatessens, cafés e lojas de vinho.

As ruelas transversais são um encanto, há muito o que explorar.

Muito o que explorar. (Foto: Mônica Sayão)
Mais das ruazinhas transversais. (Foto: Mônica Sayão)
Várias lojas de cerâmica pelo caminho. (Foto: Mônica Sayão)
Muito charme pra todo lado. (Foto: Mônica Sayão)
E as surpresas continuam. (Foto: Mônica Sayão)

RESTAURANTES

Trattoria La Pergola – Meu favorito na cidade. Não tem erro: muito boa culinária num ambiente bem simpático.

Trattoria La Pergola é meu restaurante favorito em Orvieto. Além da comida deliciosa, tem um jardim interno muito agradável.
(Foto: Mônica Sayão)

HOTÉIS

De uma maneira geral os visitantes de Orvieto vêm só passar o dia. Mas se houver tempo disponível, pode haver dois motivos para um pernoite na cidade. O primeiro é experimentar a cidade à noite, sem os muitos turistas. O segundo motivo é aproveitar e fazer um passeio a Civita di Bagnoregio, que fica a 25km de Orvieto. Bagnoregio é aquele micro vilarejo, onde hoje moram cerca de 20 habitantes, e que é uma cidade em extinção, porque está localizada sobre um penhasco em contínua erosão.

Para se hospedar no centro histórico, que acho ser a melhor opção, sugiro:

Hotel Duomo e Hotel Palazzo Piccolomini

Os dois hotéis são muito bem avaliados e com excelente localização. O Duomo fica ao lado da catedral, o que é um atrativo extra. Mas como são hotéis adaptados de construções antigas, eles não têm elevador, por exemplo. Mas sei que têm ótimo atendimento. Para quem for de carro é importante contactar o hotel para maiores esclarecimentos.

COMO CHEGAR

Orvieto é uma ótima opção de passeio bate e volta a partir de Roma (estação Termini), porque uma viagem direta de trem tem a duração de 1h30. Nunca é demais lembrar que, se o bilhete for comprado online, é só imprimi-lo e pronto. Se comprar na bilheteria da estação ou nas máquinas automáticas, há a necessidade de validar os tíquetes, antes de embarcar no trem, tanto na ida como na volta.

Ao chegar a Orvieto é necessário pegar um funicular para ir para a parte alta/antiga da cidade. O “Funicolare” fica na mesma praça da estação de trem, a Piazzale Matteotti. Ao descer do funicular há micro-ônibus da prefeitura que levam o visitante até a praça do Duomo. Esses ônibus são constantes.

O mesmo acontece para quem está de carro. O percurso de Roma a Orvieto também dura 1h30. Há um grande estacionamento próximo à estação de trem em Orvieto. Depois é só utilizar o funicular e micro-ônibus.

E aproveitar muito essa cidade tão especial!

“Arquiteta de formação e de ofício por muitos anos, desde 2007 resolveu mudar de profissão. Desde então trabalha com turismo, elaborando roteiros e acompanhando pequenos grupos ao exterior. Descobriu que essa é sua vocação maior.”

6 Comentários

  • Rachel Alkabes 15 de janeiro de 2022

    Ah, Mônica! Claro que vc conheceria Ovieto! Eu chorava diante da catedral, sem acreditar no trabalho espetacular da representação de cenas da Bíblia na pedra. Eu chorei de emoção durante toda minha estada em Orvieto. Como é possível uma pequena cidade tão cheia de experiências incríveis. Só você mesmo Mônica! PARABÉNS! Vc não cansa de brindarnos com esses cenários surpreendentes, acompanhados de História.

  • Mônica Sayão 15 de janeiro de 2022

    Rachel querida,

    Muito obrigada por palavras tão carinhosas.

    Também me emocionei muuuito em frente ao Duomo de Orvieto. É espetacular!

    Pode ter coisa melhor do que viajar e ter o privilégio de ver tanta coisa bonita?

    Saudades! Beijão

    Mônica

  • LEILA MARIA PEREIRA VIEIRA 15 de janeiro de 2022

    Como é delicioso recordar as viagens que fizemos, principalmente a Itália, minha paixão. Vc descreve tão bem que é como se estivéssemos viajando outra vez E as fotos maravilhosas como sempre. Adoro quando vc indica novo boletim. Bjsss 😘

    • Mônica Sayão 16 de janeiro de 2022

      Leila querida,

      Sabe que quando escrevo as colunas tb viajo junto? É bom demais!

      Brigadão pelo carinho de sempre.

      Bjs
      Mônica

  • Edwiges Chiapetta Azevedo 16 de janeiro de 2022

    Ver essas fotos é viajar de novo. Saudades das nossa viagens!👏👏😘😘

    • Mônica Sayão 17 de janeiro de 2022

      Edwiges querida,

      Nem me diga sobre saudades de viajar!

      Obrigada pelo carinho de sempre!

      Beijão

      Mônica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.