25 de julho de 2024
Colunistas Ilmar Penna Marinho

A celebração do dia de Tiradentes

Nas viagens ao exterior, quando se declarava brasileiro, logo citavam Buenos Aires, como capital do Brasil.

Hoje, ao se visitar as grandes capitais do mundo, mesmo com um inglês titubeante, merecemos toda simpatia e sorrisos, como aconteceu com o maître de um restaurante em Londres, que, ao responder que era brasileiro, abriu um generoso sorriso e não se conteve:

  • Oh! Brasil! É um pais maravilhoso… tem tudo: mar, sol, riquezas naturais, belas mulheres, futebol e “Copacabana”…

Se ainda não sabem que a capital é Brasília, saibam que nosso país, ocupa hoje a 9a posição como a maior economia do mundo, à frente do Canadá e da Rússia, o que impõe um respeito global.

Temos tudo para dar certo, porém, a sirene do SOS ressoa, cada vez mais alto.

Com tantas desinformações e mentiras circulando na mídia, o mundo precisa saber a verdade.

Responsabiliza-se o desgoverno do atual mandatário, um ex-atrás-das-grades, que foi condenado e preso pelos crimes de receber propinas e lavagem de dinheiro.

Solto impunemente, voltou ao poder e à cena do crime, desde 1 de janeiro de 2023.

Com 14 meses no Palácio do Planalto, conseguiu levar o país ao retrocesso socio-econômico, esvaziando os cofres públicos com desvios de verbas e abusiva gastança em mais de 40 viagens ao exterior, envergonhando o Brasil com seus discursos demagógicos, desconexos e mentirosos.

Nunca se viu, na condução do destino do país, tamanha arbitrariedade penal e desrespeito à Constituição, ocultados por uma “Fábrica de Mentiras” e protegidos pelos Supremos Cavaleiros do Apocalipse, a serviço dos desmandos do governo.

Nenhum dos 43 mandatários que presidiram o Brasil ousou mentir e iludir o povo confiante numa democracia e numa Justiça igualitária.

Nunca houve tamanha mobilização patriótica contra um ditador, que gerou o caos e o sem rumo da maravilhosa nação brasileira.

No domingo 21 de abril de 2024, foi celebrado o Dia de Tiradentes, mártir e herói nacional, com um gigantesco e pacífico protesto contra a ditadura e a censura venezuelana do cumpanheiro Maduro, implantadas no Brasil.

A manifestação popular, embandeirada de verde-amarelo, lotou a Av. Atlântica, ao longo de toda a orla da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, com céu azul e um sol convidativo de comemoração, com Deus abençoando a volta da esperança de um Brasil, digno de todos os brasileiros.

Ilmar Penna Marinho Jr

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *