16 de agosto de 2022
Colunistas Junia Turra

Se preocupe com o seu Eu

Porque EU sou EU.
Eu vivo num universo infinito de lugares e espécies, inclusive a humana, que nunca canso de descobrir e conhecer. Eu observo!

E fico onde me cabe e eu me sinto bem. E vou embora quando acontece o oposto. E eu bato à porta e vou. E se eu vou, não tente me impedir. Tudo serve de experiência. E sigo sempre adiante.

Me chateio com o tempo perdido, perco muito tempo às vezes com situações e pessoas que não valem a pena. Cada um com seu cada qual.

Desnecessário, eu sou melhor, você é pior. Ou vice-versa. Se eu sei quem eu sou, isso é suficiente. Sempre tem alguém melhor ou pior do que nós mesmos. Mas falar para quem não quer ouvir ou não tem como compreender, é jogar palavras ao vento e pérolas aos porcos.

Sejamos mais rápidos. O tempo é inexorável…

E perder tempo com aquilo que não vale a pena é perda irreparável.

Não pare! Siga adiante! Para não perder mais tempo. Hipótese no passado não existe. Só volte para visitar as memórias do que alimenta a sua alma, de amor e bem, mas muitas vezes é preciso sim, revisitar o mal. Mas não se esqueça, a vida é sempre adiante.

Não se perca nessa passagem da existência.

Ela é maravilhosa! Todos os momentos. Quantos surreais e absurdos eu já vivi e continuo vivendo. Quantos sobreviveriam a eles? A maioria não dá conta de … não saber sobre a vida do vizinho.

Sobra superficialidade no meio de multidões de iguais. “Deus dá o frio conforme o cobertor”, mas muitos querem ficar pra sempre sentindo frio e nunca olham para o cobertor ali na frente deles. Claro, estão virados pra trás!

Os Natais eram maravilhosos antes? Este também será. Morreram todos? Mas você está vivo. Eu adoro o Natal! Todos os que amei e já se foram fazem parte do Espírito de Natal e estão todos dentro de mim.

E eu nunca vou desistir.

Desista de achar isso!

Que vai ser melhor do que eu, que vai saber tudo sobre mim.

Não, porque esses são os seus critérios e não os meus.

Eu gosto do pássaro que me observa, de observar a folha que cai, de ser livre por aí. Nenhum grupo, não me obrigue, não pense que sabe de mim, se eu mesma estou em construção pela vida eterna.

Mas que ninguém invada o meu espaço e não ouse jamais inverter a verdade e a ordem das coisas. Está pra nascer quem vai me dizer: vem por aqui! Eu vou SE eu quiser ir.

A vida é para aqueles que resistem, que insistem, que enfrentam o medo. O resultado é o que menos importa.

(No vídeo abaixo, essa maravilhosa bailarina… E eu amo o que faço, escrever histórias, scripts, narrar os fatos, dirigir cenas, e conhecer pessoas assim…)

 

author
Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.