Não quer? Fique em casa!

Não venha cuidar da vida dos outros se vc não paga a conta deles.
Gente que adora ser politicamente correta pra inglês ver. Mas são incoerentes, bois de piranha, querem impressionar. Haja paciência!
A ignorância, a limitação, o medo, não estão na classe social.
Eu adoro gente simples. Adoro gente humilde. Não nasci para viver de aparências e futilezas.
Não há nada mais sublime que as gentilezas, que a autenticidade, o altruísmo verdadeiro.
Nada mais cativante do que a verdade escrachada. Doa a quem doer. Gente intensa, verdadeira. Ah, são o alvo dos que “flutuam” e não dão conta de agir frente a frente. Tramam, fazem por trás, falam dos outros. Posam de elegantes e limpinhos. Deslizam como camaleões de ocasião. Não podem errar. Ninguém pode contradizê-los. A receita do biscuit deles é inquestionável. Não permitem variações.
Ficam arrepiados de inveja da grandiosidade daqueles que se mostram por inteiro. E tramam. Comem pelas beiradas. Covardes.
Pouco importa…
A esses que bordam, chuleiam caseiam, pregam botão, na fala mansa da falsidade com seus pares, formam as “cajazeiras” de Jorge Amado: é a eterna prisão da mediocridade.
Fico com os que vibram, ousam, arriscam, pensam, repensam, erram , se desculpam, são intensos, os olhos são transparentes, os cabelos arrepiam, os cascos batem, eles cospem fogo…
A grosseria da verdade absoluta atinge em cheio aqueles que se morderem a língua morrem do próprio veneno.
Um brinde à liberdade de todos aqueles que continuam a viver sem restrição e enxergam as coisas do jeito que elas são.
Aos holandeses… E a todos que vestirem a carapuça:
Resistam aos imbecis!
Não recuem!
Sejam “grosseiros”!
A verdade dói.
A mentira destrói.

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *