16 de agosto de 2022
Adriano de Aquino Colunistas

O Papa e a porta do inferno…

Nesse fim de semana, enquanto o papa Francisco, abria a porta do inferno para mais um pecador, eu revia Twin Peaks.

David Lynch, no sentido inverso ao do Papa Francisco e sua enfadonha ‘Inquisição Moral’ pós moderna, abre outras portas.

As abre para misteriosas dimensões do tempo e da existência, do bem e do mal, da beleza, do amor e dos sonhos, que nos leva indagar ‘que lugar é esse/onde tudo começou”.

E, que ‘ tempo’ é esse que tanto nos atrai e encanta?

“Meu sonho é ir
Para aquele lugar
Você sabe qual
Onde tudo começou
Em uma noite estrelada
Em uma noite estrelada
Quando tudo começou
Você disse me abrace
Me abrace, me abrace
Não tenha medo
Não tenha medo
Estamos com as estrelas
Eu vi nos seus olhos
En tus palabras
Y en tus besos, tus besos
Debajo de una noche
Na llena de Estrellas
Sob a noite estrelada
Muito tempo atrás

Mas agora é um sonho

David Lynch é um grande artífice que dá vida ao ‘sonhador dentro do próprio sonho’ quer dizer; todos nós!
Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.