Três cidades princesas – Budapeste, Viena e Praga

Essa semana o Diário de Viagem vai publicar um artigo sobre o famoso destino lua de mel da Europa, as três cidades princesas: Budapeste, Viena e Praga. Vamos começar com Budapeste, a Pérola do Danúbio e em seguida Viena e Praga.
Budapeste – A Pérola do Danúbio
Não foi à toa que Chico Buarque escolheu esta região como pano de fundo de seu romance Budapeste!!! Junto com Viena e Praga, estas três cidades são consideradas as princesas da Europa Oriental. Além de belas e românticas, hoje se tornaram o destino preferido para lua de mel. A melhor época para visitar é na primavera (maio e junho) ou no outono (setembro e outubro). Não recomendo o verão porque o calor é muito forte (acima dos 40 graus) nem o inverno congelante abaixo de zero!

Budapeste – Parlamento à noite
Foto: Yeda Saigh
Budapeste – Parlamento de dia
Foto: Yeda Saigh

Capital da Hungria e sexta maior cidade da Europa com 1,7 milhões de habitantes, Budapeste é um terço da cidade de São Paulo em tamanho. Para quem gosta de spa, é a única grande cidade do mundo que é abundante em fontes de água sulfurosa e pode ser considerada de vanguarda, porque muito antes de spa ficar na moda, em Budapeste estes já existiam há anos! Hoje é difícil você ir num hotel que não possua um spa. Budapeste ganhou sua reputação como uma cidade de spas em 1920, e em 1934 foi classificada oficialmente com o título “Spa City”.
Há piscinas públicas pela cidade toda, as construções são incríveis, parecem russas da época de Stalin, imensas com azulejos decorados. A do nosso hotel era linda e enorme!! É muito agradável chegar ao final do dia e fazer uma massagem, uma sauna, tomar um banho de piscina! Trata-se de uma verdadeira renovação de corpo e espírito, perfeita preparação para fazer o programa da noite.

Piscina do Hotel Corinthia
Foto: Yeda Saigh

Curiosidade:
A palavra spa deriva do nome da cidade belga de Spa, conhecida na Roma Antiga como Aquae Spadanae. O termo spa popularizou-se no final do século XX, passando a significar um espaço onde se fazem tratamentos pela água, vapor ou infusões, normalmente complementados com massagens e tratamentos médicos não invasivos.
Um pouco de história:
O fato de ser uma cidade belíssima, não esconde uma história um pouco conturbada com muitas invasões desde a antiguidade: os Celtas (Aquincos), Romanos, Magiares (Húngaros), Império Otamano (Turcos) e Habsburgos.  A localização geográfica da Hungria por ser muito plana e no meio da Europa facilitava a invasão.
Para se ter uma ideia, depois dos nazistas terem ocupado a Hungria por anos, os comunistas ficaram mais 44 anos (1944-88). Estive em Budapeste em 1979 e voltei esse ano. Na minha primeira visita, ainda faziam parte da  chamada “cortina de ferro” e era uma cidade muito diferente da que vemos hoje. Como fui em Janeiro, inverno rigoroso, escurecia cedo, tudo cinza, ninguém nas ruas, meio triste. Além do frio, não podemos esquecer da opressão do regime comunista. Agora em 2013 percebi uma diferença grande em tudo: as pessoas parecem mais descontraídas, a cidade está muito mais alegre, já existem muitas lojas de grife e bons restaurantes.
O que fazer em Budapeste:
Hop On /Hop Off: uma boa dica é pegar esse ônibus, é uma ótima maneira de conhecer a cidade gastando pouco, com conforto e visitando os principais pontos turísticos. O trajeto percorre os 15 pontos turísticos principais da cidade: se você quiser descer para conhecer melhor algum lugar, desce, faz a visita e depois toma o próximo ônibus. Essa flexibilidade é ótima em uma viagem.
Igreja São Matias
É conhecida pelo seu elegante e colorido telhado constituído por azulejos hexagonais formando desenhos geométricos.
O seu nome foi escolhido em homenagem ao Rei Matias, e é considerada especial para o povo Húngaro, porque foi o espaço sagrado para as coroações e casamentos reais, como
a coroação do imperador austríaco Franz Joseph I e de sua mulher, Elisabeth (Sissi) em 1867. Aconselho a assistir a missa de domingo às 10hs da manhã, cantada em coro muito bonita!

Igreja São Matias
Foto: Yeda Saigh

Fisherman’s Bastion ou Bastião dos Pescadores
Em estilo neogótico e neoromânico às margens do Rio Danúbio, foi construído entre 1895 e 1902. São sete torres que representam as sete tribos magiares (húngaras) que se instalaram na Bacia dos Cárpatos (montanhas da Europa Oriental) em 896. É um dos monumentos mais lindos de Budapeste do lado de Buda: a vista que se tem da cidade, do Parlamento e da Ilha Margarita é deslumbrante.

Bastião dos Pescadores
Foto: Yeda Saigh

Conheça o restaurante Halászbástya, muito simpático para almoçar: não conseguimos ficar lá porque o calor era intenso e não tinha ar condicionado. É ali que se encontra a famosa estátua de bronze de Stephen I da Hungria, montado em um cavalo, erguida em 1906.
Restaurante Halászbástya
1014 Budapest, Szentháromság tér 5, Hungria
Tel.:+36 1 458 3030
http://eng.halaszbastya.eu/contact/
Curiosidade:
Bastião era usado como uma muralha de defesa para uma cidade, esse bastião recebeu o nome da associação dos pescadores, por que foram eles os responsáveis pela defesa desse trecho das muralhas na Idade Média.
Palácio Real ou Castelo de Buda
Ir a pé até o Palácio Real que é ao lado do Fisherman, no alto da colina em Peste. A vista é digna de cartão-postal. O Palácio Real consiste em um conjunto de vários edifícios, muitos deles construídos no século XVIII. Durante a Segunda Guerra Mundial o palácio sofreu alguns danos graves e a sua cúpula teve que ser reconstruída. Desde 1945 deixou de ser a residência oficial dos reis da Hungria e atualmente abriga vários museus: o Castelo de Buda, a Galeria Nacional Húngara e o Museu de História.
Em 1987, foi classificado pela UNESCO como Patrimônio Histórico da Humanidade.

Palácio Budapeste
Foto: Yeda Saigh

Galeria Nacional Húngara
Com seis mil pinturas, mais de duas mil esculturas e 11 mil desenhos, a Galeria Nacional reúne o maior acervo de arte produzida na Hungria com séculos de história, da produção medieval à arte contemporânea. A grande maioria dos quadros não são tão conhecidos, nem seus autores são nomes concorridos, mas oferecem um ótimo panorama da história húngara.
Exposição Monet, Gauguin, Szinyel Merse, Rippl-Rónai
A exposição de impressionistas húngaros está muito bem montada, fazendo uma comparação com os impressionistas franceses, quadros lindos. Não perca a lojinha da Galeria que é ótima!

Galeria Nacional Húngara
Foto: Yeda Saigh

Museu Histórico
É enorme! Tomamos um café e vimos um pouco do museu, conta toda história dos húngaros que eram muito ligados aos armênios da Transilvânia e que foram muito importantes na história húngara. Pode-se também visitar as partes restauradas do edifício medieval do palácio real e as esculturas do palácio gótico.

Estátuas da Virgem – Museu Histórico
Foto: Yeda Saigh

Basílica de Santo Estevão
É maravilhosa! Recebeu o nome em homenagem ao Santo Rei Estevão I da Hungria. Fica a poucas quadras do Parlamento e juntos formam o par de edifícios mais altos da cidade: é também a maior igreja da Hungria com capacidade para 8.500 pessoas. Da fachada principal vê-se o Rio Danúbio e na capela atrás do santuário, pode-se ver a relíquia mais importante da cristandade húngara: a mão direita embalsamada do Rei Estevão I, fundador da igreja da Hungria.

Basílica São Estevão
Foto: Yeda Saigh

Um Tour pelo Parlamento
Com estilo neo-gótico, inspirado no Parlamento britânico em Londres, o belíssimo complexo foi erguido entre 1884 e 1904. Encontram-se expostos o cetro real e a coroa de São Estevão. Há objetos em ouro, pisos e paredes de mármore e obras de arte de importantes artistas húngaros como: Károly Lotz e Mihály Munkácsy. O tour dura apenas 40 minutos.
Ópera Nacional de Budapeste
Inaugurada em 1884 em estilo Renascentista, fica na charmosa Avenida Andrássy: foi um projeto de Miklós Ybl, um dos expoentes máximos de arquitetura na Hungria. É considerada a terceira melhor acústica na Europa depois do La Scala de Milão e da Ópera Garnier de Paris.
Tour da Ópera Nacional com Mini Concerto
Fazendo esse tour durante o dia você tem a oportunidade de ver todos os detalhes da arquitetura, que durante um espetáculo passa despercebidamente e são maravilhosos, dando uma outra noção do conjunto da obra. O tour termina com um mini concerto, que vale muito a pena!

Tour da Ópera Nacional / Mini Concerto
Foto: Yeda Saigh
Entrada Real da Ópera Nacional
Foto: Yeda Saigh

Ilha Margarita
Se estiver passando uma ópera na Ilha Margarita não deixe de ir, é ao ar livre num espaço muito agradável. Assistimos Madame Buterfly muito bem montada com cantores ótimos.

Ópera na Ilha Margarita – Madame Buterfly
Foto: Yeda Saigh

Curiosidade:
A avenida Andrássy foi uma das locações do filme Budapeste baseado no livro com o mesmo nome de Chico Buarque. Essa avenida é conhecida como “a Champs-Elysée de Budapeste”, onde se encontram todas as grifes, os hotéis e os restaurantes de luxo.
Termas Gellert (Gellert Baths and Spa)
A entrada é majestosa, com um portal imenso de pedra e um grande hall. O complexo foi construído entre 1912 e 1918 no estilo Art Nouveau. Foi danificado durante a Segunda Guerra Mundial, como quase tudo em Budapeste. As referências para as águas medicinais deste local datam o século XIII. Mas o curioso que existiu um hospital neste local durante a Idade Média e durante o reinado do Império Otomano.

Termas Gellert
Foto: Yeda Saigh
Termas Gellert
Foto: Yeda Saigh

Termas Gellért
1111 Budapest, Szent Gellért tér 1, Hungria
Tel.: + 36 1 889 5500
http://www.gellertbath.com
Passeio de Barco à Noite
É um programa sem pretensão que dura seis horas e começa às sete da noite: a música é meio de elevador, um jantar razoável, mas a vista que se tem de Buda e de Peste no pôr do sol e, sobretudo à noite, vale o passeio.
Se de dia Budapeste é linda, à noite é simplesmente de tirar o fôlego. Isto porque a cidade investe na iluminação dos seus principais monumentos, como o Parlamento, o Castelo de Buda, o Bastião dos Pescadores e a Ponte das Correntes. O resultado é simplesmente único, e com certeza, um dos principais motivos de Budapeste ser considerada uma das cidades mais lindas do mundo.

Passeio de barco à noite – Ponte das correntes
Foto: Yeda Saigh

Grande Sinagoga
É a maior e mais monumental da Europa, conseguindo acolher mais de três mil pessoas no seu interior, onde não apenas judeus de Budapeste, mas de todo o mundo se reúnem regularmente. Esse é um dos pontos turísticos mais concorridos da cidade porque é considerado um marco histórico.
Durante a Segunda Guerra Mundial a Sinagoga sofreu danos graves e correu grande risco de ser derrubada pelas tropas nazistas. Foi recuperada e hoje está imponente nos jardins numa das ruas mais movimentadas da cidade. Atrás do edifício fica o Monumento aos Mártires Judeus da Hungria.

Grande Sinagoga
Foto: Yeda Saigh

“Shoes on the Danube Promenade” / Sapatos à beira do Danúbio
Esse é um monumento aos judeus sacrificados durante a Segunda Guerra Mundial. Foi criado pelo diretor cineasta Togay e esculpido por Gyula Pauer na margem do rio Danúbio. A arte é  bonita mas a história é muito triste!!

Sapatos à beira do Danúbio
Foto: Wikipedia – Nikodem Nijaki

Museu do Marzipan
É incrível! Tem uma pequena amostra de várias coisas em Marzipan: a Imperatriz Sissi, a Catedral de St. Isaac em Moscou, uma cesta de frutas muito bem feita, não percam! Fica ao lado da Igreja de São Matias e do Bastião dos Pescadores.

Sissi em Marzipan
Foto: Yeda Saigh

Museu do Marzipan
2000 Szentendre, Dumtsa Jenő u. 12
Tel.: + 36 (26) 311-931
Museu de Belas Artes
Construído no começo do século XX, o museu tem um acervo de mais de 100 mil obras: Leonardo da Vinci, Rafael, Albrecht Durer, Pieter Brueghel, Rembrandt, El Greco, Velasquez e Goya fazem parte dessa magnífica coleção.
Exposição de Egon Schiele
Maravilhosa!! Não deixem de ver um filme ótimo sobre a vida dele junto com a exposição. Duração de 26 Junho à 29 Setembro 2013.
Saindo do museu, dê uma volta na Praça dos Heróis que é ao lado e famosa em Budapeste: tem estátuas representativas dos fundadores da nação húngara há mais de 1.100 anos.

Museu de Belas Arte
Foto: Yeda Saigh

Shopping West End
Entre fazer turismo e um cafezinho nada melhor que umas comprinhas porque ninguém é de ferro. Foi lá que conheci a loja Desigual, espanhola que parece a Custo Barcelona, roupas bem interessantes. Recomendo! Vá também ao famoso Mercado Central, que é um bom passeio.
Hotéis:
Corinthia * * * * *
Inaugurado em 1896 como o Grand Hotel Royal para a alta sociedade do século XIX, e totalmente restaurado, o Corinthia Budapeste, tem uma entrada majestosa com uma grande escadaria de mármore, está muito bem localizado no coração da cidade. No hotel tem o famoso Spa Royal, recentemente inaugurado, com uma piscina de 15 metros, sala de ginástica completa, banhos de lama e algas, vários furôs e salas de massagens. A localização também é perfeita, apenas 300 mts. da Av Champs Elysée húngara. Ficamos nesse hotel e recomendo.

Hotel Corinthia
Foto: Yeda Saigh

Hotel Corinthia
1073 Budapest  Erzsébet körút 43, Hungria
Tel.: + 36 1 479 4000
http://www.corinthia.com/en/Budapest/home/
Hotel New York/ Boscolo*****
O Boscolo Budapest ou Hotel New York está em um elegante prédio do século XIX, e tem o bar mais famoso de Budapeste, todo art déco, achei muito bonito. Também próximo a Av. Andrássy. O spa inclui sauna, banho turco e uma academia. O New York Café, dentro do hotel, é lindo de morrer! Fomos comer uma sobremesa e tomar um café, não deixe de ir. No bar tem apresentações ao vivo de piano e no Restaurante Salon Fine Dining servem pratos da cozinha tradicional húngara.

Hotel New York
Foto: Yeda Saigh

Hotel New York/Boscolo
1073 Budapest  Erzsébet körút 9-11, Hungria
Tel.: + 36 1 886 6111
http://budapest.boscolohotels.com
Four Seasons Hotel Gresham Palace Budapest*****
Gresham Palace foi construído em 1906 pela companhia de seguros de vida Gresham, como uma forma de investir em uma fonte sólida de renda durante um tempo em que era proibido investir em ações. Em 1998, a Gresco Investments Limited comprou o Palácio e o transformou em um hotel de luxo, mantendo sua arquitetura original Art Nouveau, que é belíssima! Foi reaberto em Junho de 2004 mantendo sua história. É muito bem localizado em frente da Ponte das Correntes.
Como tínhamos poucos dias e muitos lugares para visitar nos encontrávamos para um drink em um lugar, jantávamos em outro lugar e íamos comer a sobremesa em outro. Foi o que fizemos no Four Seasons, fomos tomar um café à noite e escutar uma música ao vivo com uma cantora ótima.

Four Seasons Hotel
Foto: Yeda Saigh

Four Seasons Hotel Gresham Palace Budapest
Endereço: 1051 Budapest, Széchenyi István tér 5-6, Hungria
Tel.: + 36 1 268 6000
http://www.fourseasons.com/budapest/
Restaurantes:
Robinson
Ao lado da lagoa Városligetide, muito agradável, comida húngara e internacional, um dos lugares mais românticos em Budapeste, com a sua própria ilha no City Park, perto da Praça dos Heróis. No verão, há uma bela vista do terraço ao ar livre para o
lago.

Restaurante Robinson
Foto: Yeda Saigh
Restaurante Robinson
Foto: Restaurante website

Restaurante Robinson
1146 Budapest, Városligeti Tó, Hungria
Tel.: + 36 1 422 0224
Gerbeaud
São três um ao lado do outro: uma lanchonete, uma doceira e um restaurante que é ótimo para almoçar. Tem umas saladas muito boas, doces e sorvetes maravilhosos! Me lembrei da Confeitaria Gerbeaud na Av. Brigadeiro Luiz Antônio em São Paulo, famosa e inesquecível para os paulistanos. Antes de começar o dia de visitas, uma ótima pedida é tomar um café da manhã nessa confeitaria, ela era a predileta da Imperatriz Sissi.

Restaurante e Confeitaria Gerbeaud
Foto: Yeda Saigh

Restaurante Gerbeaud
1051 Budapest Vörösmarty tér 7-8.
POBox: 1364 Budapest Pf. 211.
Tel.: + 36-1/429-9000
http://gerbeaud.hu/en
Kacsa Restaurant
No coração de Buda, serviço fino de comida típica Bulgária a mais de 100 anos. Kacsa significa “pato” e é sua especialidade, embora tenham uma boa opção de cozinha tradicional húngara. Comemos o pato e é divino!
Kacsa Restaurant
1027 Budapest, Fő utca 75, Hungria
Tel.: + 36 1 201 9992
http://kacsa.opp.hu/index.php/en/
Para terminar escolhemos alguns provérbios húngaros:
– É melhor estar com medo do que estar apavorado.
– A maneira como você cumprimenta alguém determina como ele irá recebê-lo.
– Se você quer ver o arco-íris, você primeiro deve esperar a chuva.”
Boa viagem!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *