Walter Navarro ‘viaja’ pelo mundo em busca de histórias perdidas em ‘5Garrafas’, novo livro

Walter Navarro, além de colecionar viagens, é um adorador de garrafas; segundo ele, algumas delas se transformaram em obras de arte e objetos de decoração de sua casa

Crédito: Arquivo pessoal

As crônicas são um universo pelo qual Walter Navarro sempre transitou com muita facilidade. O jornalista e escritor mineiro, que já foi colunista do jornal O Tempo por quase 15 anos, já havia lançado dois livros, “O Canalha Amoroso” (2010) e “Creme e Castigo” (2012), coletâneas de textos escritos por ele entre 1997 e 2012. Mas a ideia de escrever um romance era algo que o jornalista se cobrava há algum tempo, “para sair da zona de conforto das crônicas que adoro escrever”. E foi durante a pandemia que ele concretizou essa vontade. O resultado é o livro “5Garrafas”, que está em pré-venda e que o escritor planeja lançar, em um evento presencial, em breve.

A obra de 158 páginas foi escrita em outubro de 2020, em apenas 15 dias, conforme Walter Navarro explicou em entrevista ao Bem Minas. “O livro era, inicialmente, para participar de um concurso. E concursos têm prazos. Quando descobri este, que já estava aberto há um bom tempo, vi que só me restavam 15 dias. Claro que, tivesse mais tempo, o livro poderia ficar, não melhor, mas mais ‘vitaminado’”, pontuou o escritor, que atualmente vive entre Barbacena, sua terra natal, e Belo Horizonte.

A participação no concurso não deu certo. “Errei a inscrição digital e ele ficou ‘boiando’”, contou. Mas a ideia de divulgar “5Garrafas” não morreu. E o livro chega por meio da lei Aldir Blanc, mecanismo do Governo Federal que prevê auxílio financeiro ao setor cultural durante a pandemia, inclusive por meio de editais de fomento às atividades do setor.

“5Garrafas” gira em torno do personagem Rubens Heitor que encontra uma garrafa de champanhe boiando no mar da Jamaica. Dentro dela não há nenhum mapa que mostre a localização de um tesouro escondido, mas sim uma carta contando que há outras cinco garrafas, como aquela, espalhadas pelo mundo. Rubens Heitor, então, resolve sair pelo mundo em busca das garrafas perdidas e das histórias ligadas a elas.

A escolha por ser uma história que fala de viagens não foi uma mera coincidência. O escritor não esconde a paixão que tem por viajar e desbravar vários lugares. E esse se tornou um elo entre a ficção e a realidade. Em “5Garrafas”, cada capítulo tem o nome de uma cidade do mundo: tem lugares do Brasil, da Europa, da Ásia, entre outras regiões do planeta.

“No fundo, escrevemos sobre ‘nosso quintal que é o universal’. Meu quintal é o mundo a partir de Barbacena onde nasci, passando por Campinas, onde cresci, e BH, onde, de vez em quando ainda sobrevivo. E garanto que em todos estes locais existem muitas garrafas, cheias de histórias. O que não vivi, inventei”, contou. “Minha Moscou, Tóquio e Luanda, entre outras, vieram do Youtube; de muitos filmes e séries. Certa feita escrevi três crônicas sobre Havana, Cuba, que só conheci anos depois, em 2012. Modéstia às favas e picas, minha ficção ficou bem perto da realidade”, disse o mineiro.

Navegando em novos mares

Walter Navarro afirmou que gostaria de ter investido mais nos personagens e nas cidades em “5Garrafas”. “Sinceramente, o livro poderia ser nove ou mais garrafas. Fossem 10, por exemplo, o livro, em vez de 158, teria umas 300 páginas. Logo, teoricamente, eu levaria o dobro do tempo para criar e escrever, mais cinco histórias, em outras cinco cidades do mundo. E eu não tinha este tempo”, comentou. Segundo ele, nada o impede de, um dia, no futuro, voltar à história. “A ficção permite reviravoltas incríveis”, comentou ele, que disse que vem recebendo elogios de amigos que já leram a obra.

“5Garrafas”, aliás, não foi a única criação de Walter durante a pandemia. Ele escreveu outros dois livros, que ainda não foram divulgados para o público. “Conhece aquela famosa e assustadora frase de Jack Nicholson, no filme ‘O Iluminado’ (1980), de Stanley Kubrick? O filme é de terror, baseado num livro do mestre Stephen King. Quando o personagem de Jack fica louco, um dos primeiros sintomas é quando escreve páginas e mais páginas, de um suposto livro, repetindo apenas a mesma frase: ‘Muito trabalho e pouca diversão faz de Jack um cara bobão”. O primeiro livro que escrevi na pandemia, ‘Nunca Mais Serei Albert II de Mônaco’, era para outro concurso, de livros de horror, outra estreia para mim. Com muito trabalho e pouca diversão, me inspirei em ‘O Iluminado’, para escrever algo bem delirante”, falou o escritor.

“Nem eu sei como o livro termina, se a trama é um delírio ou era ‘realidade’. Jack enlouquece porque fica isolado num hotel fechado pelo inverno, com a mulher, o filho, muita neve e o ‘Sobrenatural de Almeida’. Ou seja, um isolamento social voluntário, como este involuntário que vivemos, desde 2020”, acrescentou. “Mas criei um personagem que também fica isolado, com a namorada, num resort de luxo, durante a pandemia. Ele só tinha a mulher e, claro, as mordomias do resort, mas sem Internet ou vida social. Daí… Repito, nem eu sei se ele ficou louco ou imaginou tudo. Cada leitor – se um dia eu conseguir lançar esse livro – vai decidir”, acrescentou. O terceiro livro, segundo ele, é um conto “policial, meio suspense, meio vingança, revolta, assassinatos e mistério, em Belo Horizonte”.

Walter se diz satisfeito por poder desbravar novos caminhos. “Criar e contar uma história é muito mais estimulante que comentar, digamos, uma observação, um registro; o fato do dia, da semana. Por natureza, a maioria das crônicas envelhece ou perde o sentido. A não ser quando você chega perto de um Rubem Braga, perto da eternidade, sorte e talento que não é para os deveras mortais. Já a ficção é uma história que pode ser contada mil e uma noites. O que não quer dizer que vou abandonar a ilha das crônicas, não tenho é onde publicá-las. Quem sabe, num futuro próximo, surge um concurso de crônicas!”, observou o escritor.

Lançamento

Walter Navarro não esconde o desejo de fazer o lançamento presencial de “5Garrafas” assim que possível, seguindo todos os protocolos de saúde recomendados para o período da pandemia. “Mas agora, dizem, vem aí a terceira onda, no final de junho. Espero que não, para, enfim, promover o lançamento presencial. Muitas pessoas estão comprando o livro ‘online’, mas muitas outras também anseiam pelo ‘ao vivo, em cores e bem regado’, com minhas enormes e insanas dedicatórias personalizadas”, frisou. Quem quiser adquirir o livro “5Garrafas”, ele está disponível em pré-venda no site da editora Caravana: caravanagrupoeditorial.com.br/produto/5garrafas/

Fonte: Por: Renato Lombardi – https://www.bemminas.com.br/noticias/entretenimento/walter-navarro-viaja-pelo-mundo-em-busca-de-historias-perdidas-em-5garrafas-novo-livro/11168

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *