20 de abril de 2024
Editorial

Reonerar é a palavra de ordem agora

Foto: Google Imagens – R7 notícias

Lula prometeu, em sua campanha, que os combustíveis seriam mais baratos em seu governo do que estavam no governo Bolsonaro, só que não está sendo assim (seguindo o ritmo das redes eu deveria ter dito apenas SQN, mas…). De início, até compreensivelmente, ele prorrogou a desoneração de impostos federais por 60 dias, provavelmente, para poderem estudar o impacto desta medida nas receitas.

No entanto, no dia 01/3 caducou a prorrogação da MP de Bolsonaro feita pelo governo Lula, daí ele optou por reonerar os impostos federais sobre os combustíveis. Assim, tecnicamente, a gasolina aumentaria em aproximadamente R$0,69 e o etanol em R$0,49 devido aos impostos federais. Isso assustou Lula que mandou seus asseclas arranjarem um jeito de isso não acontecer.

E qual foi o jeito arranjado? O mesmo do governo Lula2 e Dilma1 e 2, ou seja, fazer a Petrobras reduzir o preço dos combustíveis nas refinarias na marra, assim o aumento do preço nas bombas não seria tão sentido… doce ilusão como podem ver na imagem ilustrativa.

Ou ele não conhece a forma de os donos de postos de combustíveis gerenciarem seus negócios, ou ele vive num conto de fadas. Abastecer seu carro nem pensar. Ele não tem um e acho até que nunca teve um.

A nossa realidade é que, quando a Petrobras aumenta o preço nas distribuidoras, imediatamente este aumento é espelhado nas bombas, mas quando a Petrobras reduz este preço, a redução demora uns 5 a 7 dias, quando vem…

O ministro da Fazenda, em entrevista coletiva, decretou que a gasolina será aumentada em R$0,47 e o Etanol em R$0,02.Valores sacados de algum cálculo obscuro.

Que obscuro que nada. Isso foi obtido com o represamento dos preços dos combustíveis nas distribuidoras, logo demorará um pouco a espelhar nas bombas, mas aí é que mora o perigo. Não importa o que os preços internacionais indiquem. O lucro da estatal será reduzido para que, magicamente, o preço fique menor para o consumidor, exatamente como no governo Lula2 e Dilma.

Bem, naturalmente com os lucros reduzidos, os dividendos dos acionistas diminuirão, daí o mercado respondeu imediatamente: as ações da Petrobras caíram drasticamente, já que todos perceberam que o governo está, novamente, represando os preços na Petrobras. Mais um TBT de Lula.

Lula, em mais um discurso raivoso, reclamou que a Petrobras pagou mais de 215bi de dividendos, no 2o semestre de 2022, devido ao seu maior lucro da história, obviamente, conseguido pela não interferência do governo anterior no preço dos combustíveis e sem desvios ou roubalheira. Disse ainda que a Petrobras deveria pagar menos dividendos e investir mais no país. Ele esquece que a Petrobras é uma S/A e deve pagar, segundo a lei, dividendos a seus acionistas… e a União é o maior acionista, logo, se a ideia é investir no país, que a União use estes dividendos para tal investimento. Não é óbvio?

Presidente, use os altíssimos dividendos pagos à União para fazer sua política populista. Os acionistas minoritários estão muito contentes com os dividendos recebidos, que dirá os majoritários. Os acionistas minoritários compraram ações da Petrobras com seus recursos do FGTS (eu inclusive), incentivados pelos governos. Só por isso usaram parte do seu saldo para a compra de ações da estatal de petróleo. Estamos satisfeitos com os dividendos recebidos…

Entretanto, no governo Lula, parece que há o cargo de “palpiteiro geral da União”, pois “Crazy” Hoffmann tem palpitado diretamente sobre o preço dos combustíveis, certamente, visando as próximas eleições. Dona Crazy, as diretrizes econômicas do governo cabem ao Ministro da Fazenda e ao Presidente e não à presidente do partido do PT. Ela, aparentemente, não está de acordo com a reoneração… neste ponto, estamos de acordo!

No entanto, o que ficou evidente foi a briga interna do PT: Gleisi, Haddad, Mercadante e Lula. O presidente queria, porque queria, manter a desoneração. No entanto, aparentemente, Haddad ganhou a luta… mas o que faz Mercadante palpitando neste assunto? Ele é presidente “ilegal” do BNDES. Sim, ilegal, já que a Lei das Estatais o proíbe de assumir qualquer cargo público por 180 dias… mas o PT liga pra isso? E o MPF que nada diz? E o STF, com o super poderoso Alexandre de Moraes… nada a dizer sobre isso? Tudo normal? A Lei das Estatais foi revogada?

A fim de suprir a diferença entre o que deveria ser cobrado de impostos federais e o que se cobrará, o governo resolveu taxar as exportações de petróleo durante os próximos 4 meses. Isso certamente tirará o Brasil da competição internacional na venda de petróleo, já que seu preço será maior do que seus concorrentes devido ao novo imposto. Mais uma porrada na Petrobras, nos seus acionistas e nas demais empresas exportadoras.

Em paralelo, o governo decidiu manter o preço do querosene de aviação e do GNV sem a cobrança de PIS/COFINS até junho. Nas reuniões subsequentes sobre o tema, participaram: Lula, Haddad, Prates (o presidente ilegal da Petrobras) e Alexandre Silveira (minas e energia). Estranhamente Simone Tebet, a Ministra do Planejamento não participou ou nada comentou sobre o assunto. Como a Ministra do Planejamento não participa de reuniões de planejamento? Realmente, Tebet foi colocada para escanteio. Num cargo como a Rainha da Inglaterra, ops, agora Rei da Inglaterra…

Enfim, sobra mesmo é pra gente e para os acionistas da Petrobras.

Lamento pelos trabalhadores que necessitam dos combustíveis diretamente para seu sustento.

Valter Bernat

Advogado, analista de TI e editor do site.

Advogado, analista de TI e editor do site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *