Portugal 2021 – resumo da 2a. semana

A segunda semana foi movimentada. Destaque para um interessante passeio a Montalegre onde visitamos o bem conservado castelo que está na foto de abertura. A curiosidade fica por conta do Dia das Bruxas, comemorado lá toda 6a feira 13, com tudo que se possa imaginar.

Depois fomos almoçar na simpática Adega O Fumeiro onde, por 20 Euros, come-se e bebe-se no estilo “all you can eat”. Um passeio em Braga, banho de rio na praia da Barca e um dia chuvoso, completam o quadro.

No domingo perdemos a companhia do nosso filho e esposa. Demos carona para eles até o Porto, 1:30 de viagem. Aproveitamos e conhecemos a Afurada, na foz do rio Douro, Vila Nova de Gaia, onde almoçamos frutos do mar no Armazém do Peixe. Retornamos a Fontainho no fim do dia.

Na 2a foi dia de pequenas compras em Vieira do Minho e na 3a feira almoçamos no movimentado restaurante Ponte Nova, no Cabril.

Devolvemos a casa na 4a feira e viajamos para Amarante, nos hospedando no hotel Monverde. No trajeto, visitamos a vinícola Casa da Tojeira, em Cabeceira de Basto, onde a Sra. Mila foi uma grande anfitriã, nos mostrando a casa sede, construída no século XVII e impecavelmente renovada e mantida. Depois, conduziu uma prova com dois bons vinhos que estão logo abaixo. Esta visita foi especial e será objeto de uma coluna só para ela. Aguardem.

Na 6a feira vamos para o Porto onde novas aventuras nos aguardam. Mas isso vocês só vão ler na semana que vem. Até lá fiquem com os vinhos da semana:

Luís Pato Maria Gomes branco – 2020

Excelente vinho da região da Bairrada. Um dos melhores degustados até este momento. A casta Maria Gomes também é chamada de Fernão Pires. Tudo depende da região onde for vinificada.

Adega Cooperativa Ponte de Lima Loureiro – 2020

Comprei este vinho para fazer uma degustação comparativa com o Loureiro da Quinta da Aveleda, provado anteriormente. Custa metade do preço. Não decepcionou. Mantém o estilo levemente frisante dos “verdes” tradicionais.

Cava Mas Gomá la Planta – Vendrell Olivella

Ótima Cava elaborada de forma orgânica/natural. Saborosa, muito seca e frutada.

Quinta D’ Onega Vinho Verde

Este foi o vinho da casa degustado no almoço na Adega O Fumeiro em Montalegre. Casou bem com o prato de bacalhau.

100 Hectares Sousão – 2018

Tinto duriense encorpado e elegante feito com esta típica casta portuguesa que, na região do Minho, é conhecida como Vinhão. Durante muito tempo foi considerada uma casta coadjuvante. Nas mãos de vinhateiros criativos produz até excelentes brancos (blanc des noirs).

Casa da Tojeira Premium Branco 2020

Surpreendente vinho de entrada dessa vinícola. Muito agradável, fácil de degustar. Caiu muito bem às 11:00, hora de nossa visita. Baratíssimo em Portugal. Pena que ainda não está à venda no Brasil. Um corte de Arinto, Loureiro, Trajadura e Bucelas.

Casa da Tojeira Premium Rosé – 2020

Segundo vinho degustado na visita já mencionada. Outro vinho muito bem elaborado. 100% Touriga Nacional.

Quinta da Lixa Pouco Comum Alvarinho – 2020

A Quinta da Lixa pertence ao grupo que controla hotel Monverde. Este, e o próximo vinho, foram degustados no jantar de 4a feira.

Clássico Alvarinho desta região. Boa tipicidade, um vinho com ótima acidez. Acompanhou uma Trilogia de Tártaros: vitela, atum e salmão.

Quinta da Lixa Loureiro – 2020

Uma das minhas castas prediletas para os vinhos verdes. Os leitores já devem ter percebido que ando fazendo uma extensa pesquisa sobre os vinhos desta variedade.

Outro bom vinho. Acompanhou um Spaghettoni fresco com pesto e areias de azeitona galega.

Semana que vem tem mais.

Saúde e bons vinhos!

Importante: o revisor dos textos do site está convalescendo de COVID e não está podendo fazer o seu trabalho. Caso encontrem algum erro, por favor não hesitem em avisar, seja por comentário no site, e-mail, WhatsApp, sinal de fumaça ou tambores.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *