24 de maio de 2022
Colunistas Paulo Antonini

Eu acho que a batatinha do Moro está indo ao fogo

O tweet acima foi postado por um cidadão chamado Rodrigo Tacla Duran. Este senhor encontra-se na Espanha, uma vez que tem dupla nacionalidade.

Acusado na Lava Jato, ele advogava para a Odebroxa. Embora os lavajateiros o chamem de foragido, ele não está foragido porcaria nenhuma.

A justiça espanhola o colocou à disposição da Lava Jato para ser arguido naquele pais, quando então seria julgado seu pedido de extradição.

Mas curiosamente os lavajateiros não deram as caras (!!!). Consequentemente Duran foi liberado.

Para quem não se lembra, há alguns anos ele denunciou que uma pessoa ligada ao escritório de advocacia do PADRINHO DE CASAMENTO do Judas pediu-lhe 5 milhões de reais para aliviar sua barra com a Forca-tarefa.

Esse padrinho era sócio da mulher do ex-juiz em um escritório em Curitiba.

A Alvarez & Marsal, último emprego de Judas, onde ele ficou por apenas 11 meses, é a administradora judicial da concordata da Odebroxa.

Vejam agora como tudo esta’ interligado: Tacla Duran – Odebroxa – Judas – Alvarez&Marsal – Propina para aliviar.

Por isso mesmo a minha interpretação do tweet do sr. Duran é a seguinte:

“Judas, de achaque eu entendo. E de Odebroxa também. E um velho amigo na empresa me contou que você andou recebendo uma nota preta da A.&M., coisa aí de 8 dígitos (o que significa pelo menos 10 milhões!), que seria uma “retribuição” da gentileza prestada por você quando na Operação.” Sacaram?

Por que o TCU entrou na jogada, se ele só pode atuar em searas onde entra o dinheiro público?

Porque alega que Judas agiu em conflito de interesses por ter sido funcionário publico e julgador de cliente da contratante. Aí se configuraria a suspeita de uma falta em que o Tribunal (que não é, na verdade, um tribunal jurídico) possa atuar.

Porque no caso de suposta “retribuição” a coisa teria de ser investigada pelo Ministério Público do Paraná, onde o crime teria sido cometido. E obviamente não iria dar em nada.

Mas investigar o conflito de interesses seria o meio de abrir essa caixa-preta.

E aí em surpresa estupefata todos diriam:

“NOOOOOSSA, o Judas ganhou toda essa dinheirama por 11 meses de trabalho?

PROPINA! PROPINA!”

Aí ele poderá acabar numa cela bem aconchegante…

Fotomontagem
Paisagista bailarino e amante da natureza. Carioca da gema, botafoguense antes do Big Bang.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.