A viagem à Amazônia


Miriam Leitão diz que o presidente é capaz de cancelar uma viagem à Amazônia sem motivo aparente.
1- A viagem foi uma iniciativa de Bebianno que, para justificá-la, disse que foi uma convocação do presidente. Era mentira (vide gravações). Bolsonaro estava no hospital quando a dita foi planejada, a despeito de anunciar, salvo engano, uma ponte.
2- Bebianno convocou outros ministros para a viagem, sem dizer a eles que o presidente não sabia de nada.
3- Quando o presidente soube, pelos jornais, mandou cancelar porque não achava justo criar uma expectativa na população, porque não havia orçamento previsto para a obra. Aliás, o país tá quebrado, se é que isso interessa a alguém.
Portanto, os motivos do presidente são, no meu entendimento, mais do que justos. Seu ministro estava usando seu nome para viabilizar a viagem, sem comunicá-lo; e ia anunciar uma obra para a qual não havia orçamento.
A Miriam sabe de tudo isso. Mas levou pra redação da Globo seus métodos pouco ortodoxos (hoje eu tô ótima) pelos quais os fins justificam os meios. Isso lembra alguma coisa?
Isso é mais baixo do que desonestidade intelectual. É má-fé, que confia na ignorância dos leitores para justificar seu raciocínio.
Mais curioso é uma emissora manter uma “comentarista” com argumentos tão rasos em espaço hipoteticamente nobre. Miriam já fingiu melhor. Agora é só uma pessoa rancoroso e melancólica.
Se ela é capaz de uma nota dessa natureza, imagina do que era capaz quando foi apenas uma terrorista de merda.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *