A nossa incapacidade

Um presidente da República acuado e imobilizado por denúncias de corrupção; um tenente coronel da PM que é sócio de um narcotraficante numa empresa de táxi aéreo. Prefeitos acusados de desvios da ordem de R$ 1,6 bilhão da merenda escolar. Um deles, envolvido com grupos do crime organizado (a polícia tem provas substanciais sobre isso). Presidente do INSS que contrata uma empresa por R$ 8 milhões para detectar fraudes, mas ela funciona dentro de um depósito de bebidas.
A lista acima é infindável. Pode-se acrescentar a ela milhares de outros fatos que têm ocorrido nas últimas décadas. Governos Collor, Fernando Henrique, Lula, Dilma e agora Temer só fizeram degenerar cada vez mais o tecido social, a política, os valores e a segurança do País.
Os efeitos mais visíveis desse cenário são a violência urbana e o desemprego. A mais grave talvez seja a violência urbana, porque domina pelo medo, enfraquece, torna os cidadãos vulneráveis em qualquer lugar. Isso quando não mata.
No meio desse cenário assustador, aparece o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, tentando dar um ar solene e auspicioso à aprovação do projeto que cria Sistema Único de Segurança Pública.
Veja bem, trata-se da aprovação pelo Senado de um PROJETO que cria blablabla…. Ainda irá para sanção do presidente da República. Daí à implementação, nem o melhor tarólogo do mundo tem condição de prever. A implementação então, só Deus é quem sabe.

Foto: Arquivo Google – Jornal do Comércio – UOL

E justamente quando a violência urbana alcança índices estarrecedores, José Dirceu, a poucas horas de se entregar à prisão, confessa que está preocupado com sua filha de sete anos. Não sabe como explicar a situação à menina.
A missão é árdua, sem dúvida.
Como explicar a uma criança de sete anos que a política planejada por seu pai roubou o futuro de milhões de crianças na idade dela? Que as políticas e estratégias para deter o poder implementadas por seu pai tirou o emprego de milhões de outros pais. Pais que tiveram que suspender planos de saúde, escola particular, e até a compra de bens essenciais como alimentos, roupas e sapatos?
Como se explica para uma criança de sete anos que o pai dela armou para roubar e quase levar à bancarrota a maior empresa do País?
Como explicar a uma criança de sete anos que a única coisa que seu pai sabe fazer, desde a mais tenra idade, é enganar, manipular, roubar e tripudiar sobre as pessoas?
Como explicar para uma criança de sete anos que todo patrimônio de seu pai foi produto de roubo, de engodo, de negociatas?
Dirceu, explicar à sua filha é o de menos. Com o que você roubou ela terá boa comida à mesa, boa escola e boa vida. Ficar longe de você é o que melhor pode acontecer na vida dessa criança.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *