25 de julho de 2024
Colunistas

Militares recebendo o Bolsa COVID-19?


Quando alguém lê a manchete desta reportagem vem à cabeça um General, Coronel, Capitão ou Sargento contando seis notas de R$100,00 e rindo do restante da população.
Não é mesmo? Qualquer leitor pensaria assim. Eu mesmo levei um susto quando soube do ocorrido.
Mas, segundo fui informado, a verdade é a seguinte: soldados recrutas, que até fevereiro, *antes* de entrarem para o Serviço Militar obrigatório, *que estavam inscritos em algum programa social* (e são milhares dentre os que se apresentam para prestar o Serviço Militar), receberam, *automaticamente,* o valor de R$ 600,00.
Outros, por desconhecimento, cederam seu CPF para a mãe ou o pai para fazer a inscrição.
Muitos CPFs de chefes de família não foram “aceitos” no programa. Os pais usaram os dos filhos.
Mas tudo está sendo apurado em sindicância, em cada quartel das três Forças Armadas. Se verificada a má-fé, o militar será, imediatamente, responsabilizado na forma da legislação.
E é fácil apurar se recebeu.
Além do que, estão todos reunidos, né?
Alguns cabos e soldados antigos, que tentaram se inscrever, não conseguiram, justamente, por causa da barreira do CPF, pois já tinham o pagamento implantado há mais tempo.
Quanto a Reformados, Reservistas e Pensionistas se, indevidamente, tentaram a inscrição, não a conseguiram pelo motivo anterior.
Mesmo assim, os Comandantes das três Forças, a fim de dirimir quaisquer dúvidas, determinaram que fosse feita uma “varredura” em *todo o efetivo,* de Soldado a General, para não passar a impressão de que só verificou os Soldados, mesmo sabendo que o CPF serviria de barreira.
Espero ter esclarecido.
Aliás, o repórter *deveria, antes de divulgar,* ter apurado tudo isso quando recebeu a informação.

O Boletim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *