Vá ao Teatro!

Proibiram os espetáculos? Fecharam os teatros ao público? Então assistam on line.
São vários profissionais prejudicados na área da Cultura. Como pagar as contas?

Os bancos, as empresas aéreas têm a ajuda dos governos via dinheiro público. E as empresas jornalísticas falidas na Europa, idem, porque perderam os clientes ao distribuírem Fake News.

Ah, elas também vão embolsar milhões em ajuda aprovada pelos políticos. Assim, continuarão a “Pinóquio News”.

Mas os músicos, os atores, artistas e todos os setores coligados não receberão nada.

Observem o caos global.

E? O motivo dele?

Por causa de NADA. A Ciência já mostrou isso. Quantos vírus e bactérias soltinhos aí… E a OMS que vai ter seus “big bosses” processados já mudou o discurso.

Em 14 de Outubro publicou o índice de mortalidade do coisinho – 0,05 % até 70 anos e 0,23% para qualquer idade. Logo, não passa de um Atchim!

Mas qualquer “Atchim” quando a base de testes é irrelevante, induz ao erro. E quando trata-se um “Atchim” erradamente de propósito e até intubam, prática totalmente desaconselhável para o coisinho, aí, a coisa complica.

Na Europa os médicos são livres para a prescrição do medicamento. E o povo culturalmente checa tudo. Logo, boa parte sabe do esquema muito bem. Especialmente os que tem mais de 30 anos, sabem bem sobre o comunismo e nazismo.

Os tolinhos!

Os mais tolinhos são os tugas. Também, enfiaram no país de cabo a rabo uma esquerda vinda da África e do Brasil e ainda elegeram o que nós temos no modus Maia, Alcolumbre e aquela turma que passou pela Presidência da República não faz muito tempo.
São uma mistura de Argentina e Brasil. Ainda assim 4 portugueses acionaram a Justiça e garantiram não ter que seguir restrição alguma, porque isso vai de encontro à Constituição.

Os espertos!

Tem a turma do “nunca fiz nada, não sou nada e quero continuar a fazer nada e a ser vista nenhuma”. Imagina se vão perder o dinheiro fácil?
Logo, a turma mamadora nas ONGs, grupelhos Antifa, BLM, Extinction Rebellion, todos bancados pelo velhinho mecenas Sorinhos e Cia limitada quer Lockdown eterno e bater, espancar, arrebentar. Só que do outro lado tem gente bem indignada, até na polícia e não é difícil descer o cacete em drogaditos mimizentos para uma gente que culturalmente tem preparo físico.

No Brasil?

Ah, quanta gente “dendicasa”, mas podem, não é? Cheio de funcionário público, de aposentados com esquemas no modelo Maitê Proença.

Trabalhar on line no SPA, na fazenda, até em outro país. Na Europa pelo menos proibiram isso: checam a saída da conexão.

Sabedoria Popular

Ainda bem que no Brasil o POVO não está preso em casa e nunca esteve. Precisa trabalhar e colocar comida na mesa. Felizes os que vão para a praia e se divertem. No Rio, a praia de Ramos lotada. Que maravilha.

O povo sabe das coisas.

Trabalhos “Essenciais” Mantidos

Trabalhos essenciais sempre são mantidos em qualquer ocasião. Os Traficantes precisam fazer a coisa girar ou como é que atendem os donos do esquema que moram na área nobre?

Os policiais também não podem parar.

Logo…

A bandidagem continua à solta matando policiais honestos, que não têm direito de ficar em casa. Estão na rua trabalhando. Aconteceu no Rio há poucos dias… E, claro, bandido não precisa de máscara.

Matou o policial, pai de família. O Estado vai indenizar a família? Vão viver como?

O bandido foi preso. Ah, a família dele vai receber um rico dinheirinho e logo, o coitadinho está de volta às ruas para matar mais.

Que dia a máscara vai cair?

Então… Máscaras… Personagens, histórias e Scripts.

Vamos ao teatro on line… Participem!

E vamos ver até quando vai durar esse teatro de quinta categoria na vida real.
Quarta-feira, 9.12., às 20 h30, sintonizando: Estamos transmitindo uma pré-apresentação da peça criminosa no 20o dia após o romance de #WolfgangSchorlau. No centro estão as atividades criminosas na indústria da carne. Vale a pena! Ingressos para a transmissão ao vivo online ou através do escritório de cartões. https://www.theater-lindenhof.de/…/online-am-zwoelften…/

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *