18 de agosto de 2022
Colunistas Junia Turra

Ter consciência todos os dias

No Dia da Consciência Negra eu queria saber porque a grande atriz Ruth de Souza, escalada para o papel principal do filme Central do Brasil foi dispensada e trocada na última hora por Fernanda Montenegro.

Aliás, o público brasileiro repete como papagaio de pirata que Montenegro é a dama do teatro brasileiro.

Não é, mas repetem o mantra sem nunca terem ido ao teatro.

Ora, Ruth de Souza sim é uma grande atriz, assim como tantas outras da geração dela e da Fernandona, mas que foram deixadas de lado por não serem da turma.

Discriminadas!

A que atende pelo nome artístico de Montenegro junto com a familia e ex-genros estão no esquema da lei Rouanet na parte apelidada de Roubanet.

Isso desde tempos em que Fernandona cresceu na carreira por causa do marido ator de primeira grandeza.

Depois, o marido doente, era arrastado e enfiado em peças horríveis no esquema Roubanet.

Dia da Consciência, é mais amplo do que Dia da Consciência Negra.

Mas a discriminação com Ruth de Souza envolve tudo isso.

E quem garantiu o preconceito? Aliás, o que faz MonteNEGRO na ABL? Coloquem Ruth de Souza que além de atriz, escrevia também.

/memória de 2014

author
Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.