29 de maio de 2022
Adriano de Aquino

Palanque político


O palanque político que funciona na carceragem da PF em Curitiba, após a decisão “do amigo do amigo do meu pai” estendeu suas atividades para editoria de comunicação social.
Naquele local, o ‘hospede’ concederá uma coletiva de imprensa.
Porém, por determinação do ‘editor chefe’ e em sintonia com o “amigo do amigo do meu pai” os jornalistas do site O Antagonista estão CENSURADOS e não poderão comparecer ao evento.
Pago pra ver!
Qual será a posição das empresas de comunicação, editores e jornalistas, que ‘supostamente’ defendem a LIBERDADE DE EXPRESSÃO E IMPRENSA LIVRE?
Se solidarizarão com um veiculo de imprensa CENSURADO e IMPEDIDO de realizar seu trabalho numa instalação pública?
Duvido!
Aposto que vão passar batido e fingirão não ver CENSURA.
Aposto, também, que já tem uma colunista escalada para ser ‘porta voz’ do entrevistado, escrevinhando uma hipocrisia sobre o ‘direito legitimo’ do seu patrão de escolher – na hospedaria prisional estatal – a quem e com quem deseja transmitir sua mensagem.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 Mam/ Rio de Janeiro, Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da Funarj, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /Funarte e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.