26 de maio de 2022
Vinhos

Degustando em Casa

Aproveitando que as temperaturas começam a chegar em valores civilizados, organizar degustações temáticas, em casa, é uma das melhores formas de aumentar o nosso conhecimento sobre vinhos, com um custo em conta e, se bem organizadas, muito divertidas.

As regras são bem simples e segui-las, mesmo com pequenas adaptações, é o segredo do sucesso.
Um grupo de degustação é bem diferente de uma confraria. Existe um objetivo bem definido que é compreender, melhor, as diferentes nuances de cada tipo de vinho. Por esta razão, duas regras iniciais são importantes:
1 – As degustações devem ser temáticas.
Não há limites para escolher temas. Alguns são bem óbvios, como vinhos de uma mesma casta, ou mesmo algo como Cortes Bordaleses oriundos de diversas regiões.
Experimentem, também, organizar reuniões para provar vinhos de um determinado país ou região produtora. As possibilidades são diversas permitindo, inclusive, enveredar por áreas mais tecnológicas comparando métodos de vinificação ou sistemas de fechamento da garrafa.
Lembrem-se, tudo é possível, mas um passo de cada vez. Quanto mais sofisticado for o tema, mais conhecimento é necessário para aproveitá-lo.
2 – Não sirvam uma refeição durante a prova dos vinhos.
Pode parecer estranho, mas se o principal objetivo for estudar vinhos, não devemos misturar muitos sabores ou mesmo petiscos mais gordurosos. Tudo isto afeta o verdadeiro sabor do vinho. Sirvam apenas pão branco, torradas ou biscoitos tipo água e sal.
Um prato quente ou de frios pode ser oferecido ao final, para que cada um o aprecie com seu vinho favorito.
Estes dois passos implicam, naturalmente, em outros. O mais importante é número ideal de participantes. Se for muito pequeno pode não sobrar vinho para mais tarde, se for muito grande fica difícil de controlar tudo e até a escolha do local pode complicar o evento.
Mais uma regrinha:
3 – O grupo deve ficar entre 5 a 10 participantes.
A ambientação é importante e um pouco de formalidade vai ajudar a deixar todos confortáveis e estimular a discussão sobre o que está sendo degustado.
Sigam mais estes passos:
4 – Usem uma mesa (ou mesas) onde todos possam sentar. A toalha deve ser branca, ideal para observar a cor. Cada convidado deve ter à sua disposição mais de uma taça possibilitando fazer comparações.
Uma boa alternativa é ter folhas ou cartões de papel branco, que funcionem como ‘jogo americano’, podendo serem usados sobre qualquer superfície plana. Há, na internet, diversos modelos que podem ser impressos em casa.
Garrafas com água e copos devem estar sempre por perto. Baldes de descarte são opcionais.

5 – A mecânica do serviço, que deve ser realizada pelo anfitrião, consiste em servir uma pequena dose de cada vez, organizando rodadas de cada vinho. As degustações podem às cegas ou não.
Não precisaria repetir, mas deve-se seguir o rito convencional, analisando cor e aparência, aromas e sabores.
Entre cada ‘flight’ limpa-se o paladar com água, pão, biscoito ou torrada.
6 – Uma folha e lápis para anotações será sempre útil. A ideia é discutir tudo no final. Escolher os melhores, ou os piores, é um fator de agregação entre todos.
Para manter os custos dentro do aceitável esta última regrinha é vital:
7 – Todo mundo contribui.
Trazer uma garrafa de vinho dentro do tema é básico. Se o grupo for pequeno, aumente a cota para duas garrafas. Pode-se fixar um valor mínimo deixando o máximo por conta de cada um.
Outra boa sugestão é dividir o custo do que for servido ao final ou estabelecer um rodízio de anfitriões, cada um absorvendo as despesas de cada reunião (exceto vinhos).
Diversão e aprendizado garantido.
Saúde e bons vinhos!
Vinho da Semana: um bom Syrah Sul Africano. Uma escolha sensata para a degustação doméstica.
Avondale Reserva Syrah 2011 – $$
Bom corpo, frutado e complexo. Revela muita tipicidade, com notas de frutas maduras e toques de especiarias e café.
Harmoniza com: Carnes assadas ou cozidas, Polpettone, Costela de porco, Pato.
Compre aqui: www.vinhosite.com.br

 
 
 
 
 

author
Engenheiro, Sommelier, Barista e Queijeiro. Atualiza seus conhecimentos nos principais polos produtores do mundo. Organiza cursos, oficinas, palestras, cartas de vinho além de almoços ou jantares harmonizados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.