Tradicional Família Brasileira?


Adoro ver os feeds e as Timelines de conhecidos casados, ativistas doentes de Bolso e que traem a mulher dia sim e outro também, mas vivem, claro, postando fotos de beijos e declarações de amor à oficial.
Só espio, essa tal tradicional família brasileira, que preza tanto os valores familiares cristãos e os bons costumes. Gente que vota nele pela preservação da família, mas gasta metade do orçamento com o psiquiatra para suportar os maus tratos domésticos e não desfazer o que Deus uniu. Fico emocionada!
E o que dizer de alguém que precisa de um candidato, de um político, para que esse ser possa garantir a paz e os valores dentro de sua casa?! O que esse povo fuma? O que tem a a ver um candidato com a forma como seus filhos fazem ou farão sexo?
O padre não deu jeito nos tais valores, o pai e a mãe também não, aí o capitão, lá em Brasília, vai regular a genitália dos seus filhos, dos seus sobrinhos, dos seus netos, a forma como seu marido ou sua mulher lhe trata? Eu tenho é medo quando alguém fala de boca cheia dos valores familiares cristãos.
Só digo uma coisa: da última vez que me convidaram para um evento desses, religiosos, que abençoam e ungem as crianças em Cristo, com um curso e as bênçãos de um religioso, menos de um ano depois do convite esse pai literalmente estava tirando sangue da mãe e a ameaçando de morte dia sim e outro também, mesmo afastado judicialmente. E eu que vá fazer teatro diante desse homem na Igreja, né?
E é esse povo que quer me convencer que #elenao vai cuidar da moralidade da família. My dears, se você precisa de um candidato para zelar pela moral da sua família, desculpe, mas ocê tá é no sal.
Meus pêsames. Se as coisas estão bagunçadas em suas casas, aceita que a responsabilidade é só sua e que o livre arbítrio de seus descendentes é inalienável. Não somos donos de nossos filhos e muito menos de seus desejos, sexuais ou outros. Não conheço UM repressor sexual que não tenha feito sexo antes do casamento e que não queria proibir AS FILHAS de fazerem o mesmo. Coerente, né? Já faziam sexo escondido lá em 1930, 50, 60, 70, 80 e hoje acham educação sexual uma aberração.
Conheço gente que convida os amigos homens, todos casados e pessoas de bem, um tipo que é conhecido por mandar para os amigos vídeos e convites organizando orgias romanas em sua casa de Guarajuba, mas que, agora, na campanha, manda simultaneamente, vídeos contra educação sexual na escola e falando de kit gay, fazendo campanha para o capitão e pela moralidade familiar. E só digo aqui o que provo. Com print.
Os tempos mudaram e cabresto quem precisa é quem não tem condição de gerenciar sua própria vida. No mundo inteiro só se fala em liberdade.
No supermercados, o povo faz fila para comprar ovo de galinhas felizes, criadas livres, soltas no campo, por serem saudáveis; para comprar leite de vacas que pastam felizes nos gramados saltitando ao som artificial da floresta.
E no Brasil, os moralistas querem terceirizar valores familiares a um surtado de mímica de arma? Querem regular o sexo dos filhos? Ah, não sei se gargalho ou lacrimejo de piedade. É ingenuidade ou só hipocrisia? Quero esses fanáticos longe do alcance dos meus olhos e ouvidos. E depois a maluca sou eu.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *