Área do Porto deve ter incentivo para tecnologia


O município vai enviar em breve à Câmara de Vereadores um projeto de lei para diminuir o ISS (Imposto sobre Serviços) de 5% para 2% na área do Porto somente para empresas de tecnologia e indústria criativa. A região tem hoje 90% de vacância em prédios comerciais. Um estudo da secretaria de Desenvolvimento, Emprego e Inovação sustenta que a medida vai aumentar arrecadação e compensar a isenção fiscal, além de gerar empregos. A secretária Clarissa Garotinho ainda negocia dois galpões que ficam próximos ao Morro da Providência para desenvolver projetos de estímulo a jovens que queiram investir no setor de TI.
Dança das cadeiras
A semana que vem promete ser agitada no Diário Oficial. Para atender vereadores que votaram a favor do aumento do IPTU, o prefeito Marcelo Crivella deve trocar titulares de cargos estratégicos. A presidência da Comlurb é uma das funções mais visadas.
Trilhos em sincronia
O fundo árabe Mubadala fez uma segunda proposta para comprar a SuperVia, concessionária de trens urbanos. As conversas estão intensas. Apesar dessa negociação, não está descartado que o fundo de Abu Dhabi ainda compre o Grupo Invepar, um dos maiores em infraestrutura de transportes da América do Sul. Se isso acontecer, seria dono também do metrô do Rio.
Notinhas
Insatisfação 1. A bancada de deputados federais do Rio está indignada. Quase ninguém foi chamado para o anúncio do calendário de eventos turísticos da cidade para 2018.
Insatisfação 2. O secretariado de Crivella foi pego de surpresa com a decisão da prefeitura de fechar esta semana o orçamento de 2017. Normalmente acontece em novembro. A maioria estava com licitações prontas para realizar. Pelo andar da carruagem, muito serviço no município vai parar.
A ver navios. Ao contrário do que havia sido informado, até agora, a prefeitura não retomou as obras de correção do solo na Vila do Pan. O secretário de Urbanismo, Índio da Costa, chegou a publicar em redes sociais que os reparos tinham recomeçado, mas os moradores afirmam que ninguém apareceu desde então nos canteiros.
Fonte: Jornal Metro-RJ

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *