7 de julho de 2022
Turismo

Paris e as novidades pós-pandemia

Na coluna anterior falei sobre como Paris está florida, alegre e cheia de gente. Não pode ser outro motivo além da celebração da vida depois de tempos tão difíceis com a Covid.

Hoje vou falar sobre algumas novidades interessantes na cidade.

A primeira novidade é a inauguração do museu Bourse de Commerce – Collection François Pinault. O segundo homem mais rico da França, François Pinault, inaugurou em 2021 esse espaço dentro da antiga Bolsa de Valores, para abrigar seu acervo de arte contemporânea.

Bourse de Commerce – Collection François Pinault, interior impactante. (Fonte: Mônica Sayão)

O prédio histórico é sensacional, e ganhou algumas adaptações feitas pelo arquiteto japonês Tadao Ando, como criar uma parede circular sob a rotunda, com uma passarela no topo dessa parede, que permite que o público caminhe ao longo do primeiro nível das janelas. Genial!

O visitante pode gostar mais ou menos da arte contemporânea de Pinault, mas a visita à La Bourse é um programa imperdível.

Desse ângulo dá para perceber a interferência do arquiteto ao construir meia parede, à esquerda, com passarela no topo para os visitantes percorrerem o perímetro do salão, com outra perspectiva. (Fonte: Mônica Sayão)
Parte da coleção de arte contemporânea de François Pinault. (Fonte: Mônica Sayão)
Arte de Charles Ray. (Fonte: Mônica Sayão)

A outra novidade foi a reabertura da Samaritaine, também em 2021. Loja de departamentos instalada em prédio estilo art nouveau e art decô, na margem direita do rio Senna, fechou em 2005 por problemas internos e assim permaneceu por 16 anos. Foi Bernard Arnauld, esse sim o homem mais rico da França, que é CEO da holding LVMH de produtos de luxo, o responsável pela reabertura da Samaritaine.

Na realidade a Samaritaine é composta por alguns prédios, sendo que o icônico é o que tem o teto de vidro. Agora há também um hotel, o Cheval Blanc e vários restaurantes.

O espaço está sensacional, lindo mesmo! Outra visita imperdível.

La Samaritaine causa um verdadeiro impacto. (Fonte: Mônica Sayão)
Gradil lindo em estilo art nouveau. (Fonte: Mônica Sayão)
Restaurante no último andar, sob a cobertura de vidro. (Fonte: Mônica Sayão)

Por último, gostaria de falar sobre a Igreja de Saint Germain-des-Prés, localizada no bairro de mesmo nome.

Ela é a mais antiga igreja de Paris e fazia parte de uma abadia fundada no século VI. Na época da Revolução Francesa a abadia foi utilizada como fábrica de salitre e houve uma grande explosão que danificou boa parte da estrutura. A abadia foi definitivamente posta abaixo, sobrando apenas a igreja, construída nos séculos XI e XII. Aliás, o bairro de Saint Germain se desenvolveu em torno dessa igreja.

Não entrava na igreja há uns quatro anos. Qual não foi minha surpresa ao ver dessa vez seu interior com a pintura toda restaurada. Antes ela era uma igreja escura, com a pintura certamente esmaecida ao longo dos tempos. Agora está linda, vale muito conferir. Não sei quando esse restauro foi feito, cheguei a procurar na internet mas sem sucesso.

A igreja está localizada no coração de Saint Germain. (Fonte: Mônica Sayão)
Igreja de Saint-Germain-des-Prés: lindo interior. (Fonte: Mônica Sayão)
Com as cores restauradas. (Fonte: Mônica Sayão)
Tão mais clara agora. (Fonte: Mônica Sayão)
“Arquiteta de formação e de ofício por muitos anos, desde 2007 resolveu mudar de profissão. Desde então trabalha com turismo, elaborando roteiros e acompanhando pequenos grupos ao exterior. Descobriu que essa é sua vocação maior.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.