23 de maio de 2022
Lucia Sweet

São Paulo "escureceu"…

Imagem: Arquivo Google – Cetesb

Todo mundo perguntando se a “fumaça“ que escureceu São Paulo ontem, causada pelo Presidente Bolsonaro que queimou todas as árvores da outrora verdejante Amazônia, chegou lá de jatinho financiado a juros subsidiados do BNDES.
E antes de caírem na conversa mole da extrema imprensa que acusa o Presidente de atacar o Ministro Sergio Moro, (que ontem mesmo despachou com o presidente pela manhã), a PF, o MPF e a COAF, raciocinem, por favor. Esses ataques comprovam que o combate à corrupção e ao crime , que dominou o Brasil nas últimas décadas , está mais forte do que nunca. E leva os bandidos ao desespero.
Ao extinguir o COAF e criar um novo órgão no Banco Central, que passará a ser chamado de Unidade de Inteligência Estratégica, com as mesmas atribuições, o Presidente Bolsonaro torna nula a proibição inconstitucional do COAF repassar movimentações suspeitas para serem investigadas por outros órgãos. A proibição foi feita, como todos sabem, pelo ex-advogado do PT que preside o STF. E que recebia, segundo matéria da Crusoé, R$ 100 mil por mês em depósitos feitos pela sua mulher, dona de um escritório de advocacia em Brasília. Li que só de pensão para a ex-mulher, Toffoli paga R$ 50 mil por mês. Se for verdade, é mais do que seu salário no STF.
Todos também sabem que o PT e seus cúmplices aparelharam ideologicamente todas as instituições do Brasil. Desratizar sempre provoca uma gritaria das ratazanas incomodadas.
Enquanto isso, nesse mesmo STF, Ministro Alexandre de Moraes é o Juiz de uma ação em que ELE é o réu que tal? O silêncio da imprensa e da PGR de Raquel Dodge é ensurdecedor.
Tem mais. Segundo nota publicada em 8 de fevereiro na coluna Radar, por Mauricio Lima:
“A Receita abriu um trabalho para identificar “focos de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência” do ministro Gilmar Mendes e de sua mulher, Guiomar.
O relatório, de maio de 2018, aponta uma variação patrimonial sem explicação de R$ 696.396,00 do ministro em 2015 e conclui que Guiomar “possui indícios de lavagem de dinheiro”.
O advogado, empresário e comunicador Marcus Teixeira fez os cálculos sobre a movimentação do casal:
o salário de Gilmar Mendes em 2016 foi de R$ 36,7 mil. Recebimentos brutos em 2016: R$ 440.400,00. Total movimentado em 2016: R$ 17,3 milhões.
Essas são apenas algumas das auditorias da Receita Federal contra sonegação paralisadas pelo STF, entre outras, que envolvem dinheiro de tráfico de drogas , por exemplo …
Quem não deve, não deveria temer.

author
Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.