28 de maio de 2022
Lucia Sweet

O golpe contra o Estado de Direito no Brasil caminha a passos largos

Foi uma GRANDE vitória soltar criminosos presos em segunda instância – corruptos poderosos, estupradores, traficantes, homicidas, pedófilos. Que ousadia. Trata-se de um atentado à democracia. Nenhum país exige 4 instâncias para executar uma pena criminal. Só o Brasil.

O STF parece estar seguindo uma pauta muito bem designada. Antes, o Fachin já havia mandado soltar milhares de menores “infratores”, ou seja, criminosos, com a desculpa de evitar excesso de lotação em reformatórios.

Nenhum dos ministros parece rebelar-se contra as atrocidades cometidas por seus pares. Será corporativismo ou cada um é uma peça no tabuleiro do mesmo lado do jogo?

Na hora de legislar para transformar crimes contra gays em racismo, sem tipificação de pena, votam em bloco. Na hora de inventar interpretações, mesmo que precisem contradizer-se, nenhum escrúpulo. Acabaram de anular retroativamente condenações inventando regras que não existiam.

É um escândalo atrás do outro. Causam insegurança jurídica. Ainda pulam instâncias sem constrangimento para blindar bandidos de estimação ricos (claro) e abrem inquéritos em que acusam, investigam e julgam. Parece que voltamos à Idade Média.

Em vez de impeachment dos ministros do STF por toda sorte de motivos, o máximo que senadores fingem querer fazer é uma CPI que, além de dar em nada, levaria meses.

Estava conversando com a Stella Caymmi (não deixem de segui-la no YouTube). Estão usando o lumpen proletariat para desestabilizar a sociedade. Ela me explicou que desde sempre o socialismo usou o lumpen proletariat. Lumpen significa trapo, farrapo, ou seja, a bandidagem, o submundo da sociedade, para desestabilizar um país. Foi assim em todos os países comunistas.

E não venham me dizer que o comunismo acabou. O Foro de São Paulo foi fundado no ano seguinte à queda do muro de Berlim. Trata-se de um movimento globalista com tentáculos em todos os lugares. Lula, Fidel Castro, FHC, FARCS, CV, tudo junto e misturado. O narcotráfico é um braço importante da esquerda. Lula roubou para financiar o movimento.

Querem derrubar o Presidente Bolsonaro. Os ataques são incessantes. Usam meios criminosos, falsificados, para tentar punir procuradores da Lava Jato e declarar sob suspeição o Ministro Sergio Moro.

O que podemos fazer? O Presidente está praticamente sozinho porque no Brasil a esquerda criou o hábito de comprar alianças. Sim, ele tem apoio do povo. Sim, somos a maioria. Porém, somos totalmente desorganizados.

Meu sonho seria que os magistrados decentes — a grande maioria — se unissem, praticassem a desobediência civil e não soltassem os criminosos. Imaginem o caos, o recrudescimento da criminalidade, com a população desarmada sendo vítima de mais violência enquanto as “autoridades” andam com escoltas armadas.

Brasil, o paraíso do crime e impunidade.

Vivemos tempos sombrios e perigosos. Não podemos subestimar as forças que querem retomar o poder a qualquer custo. Mas não sei mais o que podemos fazer.

author
Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.