3 de julho de 2022
Colunistas Lucia Sweet

Essa maldita gripe de laboratório

Com ou sem imunizante que não imuniza, todo mundo acaba pegando essa maldita gripe de laboratório.

A diferença é que quem acredita nesse conto do vigário dá um lucro bilionário para a big pharma, mesmo que morra de trombose, miocardite ou seja lá do que for.

Pensar que proibiram a hidroxicloroquina, vendida sem receita médica há 70 anos, por possíveis efeitos colaterais e censuram os efeitos colaterais alarmantes desses imunizantes experimentais. Como crueldade contra animais está proibida ( muito justamente) , falta agora proibir usarem humanos como cobaias.

Parece óbvio, mas não é: nada mais faz sentido. Desponta no horizonte um Tribunal de Nuremberg, a não ser que a nova ordem tome conta do mundo.

Estamos no inverno. Um dia ensolarado e gelado alegra o meu coração agasalhado. Eu também peguei o inevitável vírus. Passei CINCO dias sem olfato pela primeira vez na vida. Logo eu, que a-d-o-r-o perfumes. (Imediatamente ouço a voz da tia Georgette, vencendo a barreira do tempo, dizendo: Lulu, adorar só a Deus. Sim, ela tem razão, mas é modo de dizer.)

Fiquei de repouso lendo, fazendo tricô, ouvindo o Pastor Sandro Rocha, em companhia do Tomaz e dos amados cachorros.

Assim que o olfato voltou, a primeira coisa que fiz foi cheirar minhas flores (sempre tem alguma flor perfumada na minha casa, tenho mais de trinta espécies), meus savons parfumées, meus perfumes, especialmente L’Heure Bleue, da Guerlain, e Habanita, da Molinard e last but not least, acendi as velas perfumadas que ganhei do meu darling Alex Collares, my brother por escolha e do coração, e que eu estava “economizando”, imagine. Especialmente a chevrefeuille, da Rigaud, o Rolls Royce das scented candles, uma “bougie d’ambiance parfumée depuis 1853”.

Um luxo. Todo mundo chic usava. Até a Jackie Kennedy Onassis. O perfume é inebriante.

As velas estão em cima de um móvel que foi da minha bisavó. Eu adoro esses heirloons (relíquias de família).

author
Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.