O idiota

Um dos grandes clássicos da Literatura é “O Idiota”, do escritor russo Fyodor Dostoievsky.

O romance analisa as consequências de se colocar um indivíduo mal resolvido no centro dos conflitos e do egoísmo de uma sociedade mundana, tanto para ele próprio quanto para aqueles com quem ele se envolve.

O Idiota é um personagem que tem necessidade de aceitação, e passa longe de ser alguém com uma personalidade forte e determinada.

O primeiro livro foi publicado há um século e meio, em 1869. Para ser mais exata há 151 anos!

Virou filme, ocupou os palcos dos teatros.

Hoje o remake é num palco mais amplo e o personagem é facilmente identificável.

Se transforma em milhares nas sociedades materialistas, superficiais em que o bem comum não é a regra e o TER é maior importante do que o SER.

Basta impor o medo e exigir o cumprimento de determinadas ordens.

Suficiente para dar aos idiotas o poder de se sentirem alguém.

Idiotas que finalmente podem se expor como exemplo a ser seguido e com direito a exigir que os demais sigam o exemplo dele e sejam idiotas também.

Idiotizar os idiotas .

Depois é só soltar. E eles circulam livres e bem adestrados

Na versão 2020, usam máscara!

Hoje eu encontrei um deles por aí.

https://confrariadeelite.com.br/wp-content/uploads/2020/08/WhatsApp-Video-2020-08-26-at-13.24.15.mp4?_=1

Fonte: www.confrariadeelite.com.br – A republicação de qualquer texto deste site só poderá ocorrer sob expressa autorização ou declaração da fonte.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *