25 de julho de 2024
Junia Turra

Europa:  Infância Preservada


Onde está o seu estilingue ou seria bodoque? Não, não é botox…

Falo de criancinhas e pais: família.

Será preciso desenhar a amarelinha pra você se lembrar a diferença entre criança e adulto?

Ao contrário do clichê e da informação errada que você insiste em manter, de que não há crianças e os europeus não se reproduzem, vou lembrar a você que leões não precisam se reproduzir como ratos.

A Índia é retrato disso. E os países islâmicos idem. Quanta miséria. E na África?

O Brasil de 70 milhões de habitantes pulou em meio século para 200 milhões. E na linha da pobreza ou abaixo dela, quase 15 milhões de pessoas.

É isso que os Globalistas querem e Siena esquerda garante:  miséria, caos e consumo.

Lá no topo, ficam os poderosos.

Aí você atropela etapas e vai discutir aborto. Mas a discussão não é no depois, é antes. Dar Educação! Garantir cidadania. Isso evita o “depois”, não?

Nada de empregada doméstica, babá e serviçais, na  maioria dos países europeus entendem que isso é “escravidão moderna”.
A escola é obrigatória e a profissionalização também. A Universidade, não. É para pesquisa.

Todos fazem tudo desde pequenos.

Pai e mãe são presentes e filhos não são endeusados. Limpam a privada e limpam a sala de aula no jardim de infância. Aprendem a amarrar os sapatos com os professores e a deixar tudo em ordem.
A família é mantida intocável. O esporte é fundamental. Desde cedo na bikes. Não comem a empregada aos 15. Não têm empregada.

E o sexo acontece naturalmente. Jovens andam em grupo de jovens. Esporte, escola, música, arte.  Meninos e meninas são iguais. Mas, são dois sexos, distintos. E a opção sexual cada um faz a sua no momento adequado da maturidade. E respeita-se.

E faça-me o favor de mudar o rumo dessa prosa niandertal: “os homens europeus são pouco machos”. Por que? Usam cachecol, andam de patinete?

Você deveria parar com o tarja preta, a droga ilícita pra ver se acaba com o pau mole ou a ejaculação precoce. E a mulherada nem precisa desesperar pra arrumar um bofe e justificar que está encalhada.

Há uma grande diferença em ser metade e necessitar do outro pra se projetar e tentar ser inteiro.

E, ser inteiro.

Vai que aparece alguém tambem inteiro. É maravilhoso caminhar em paralelo, de igual pra igual, cada um com suas diferenças. É assim que se caminha pra frente.

Evolução é isso: aprender a desenvolver a autoestima, a se bastar sozinho. Pensar em si e no todo. Não em tirar vantagem do todo.

Gente que é mais e tem menos. Ser é mais importante do que ter.

Sociedade igualitária e não sociedade comunista.

A Educação e a Saúde são públicas. Usam medicina tradicional e produtos naturais. Mas tarja preta? Rivotril, Prozac pra TPM?

Vá ler um bom livro, beber cerveja, vinho e respirar ar puro, como os europeus. Isso evita paranoia, ansiedade e depressão.

Eles vivem ao ar livre. Caminham depois do almoço, antes do almoço. Não vão à padaria de carro. Usam os pés, as bikes e o transporte publico. Nadam nos rios e lagos, brincam nos bosques, sobem em árvores.

Não têm piscina em casa, não se preocupam com o que o vizinho tem. Desenvolvem um estilo próprio, indivíduos que não usam o “uniforme da moda”, não gritam na rua, não atravessam fora da faixa. Não se acham mais que ninguém. E as críticas são feitas. Com argumentos. Criticar ou discordar não é ofensa. Elogios falsos, não. Melhor calar a mentir.

Os Radicais boçais do Brèjil:

Quanto mais atrasada a sociedade, sobram achismos e a arrogância dos atrasados:

“Moro há 30 anos em Berlim” . Ou “Conheço muito bem a Nova Zelândia viajo o mundo todo”, ou ” tenho uma amiga que mora na Noruega e é assim”…

“Nos Estados Unidos não tem isso, eu não achei pra comprar. Não tem”.
“Moro em Portugal agora e é assiiiiim”, “fiz um Cruzeiro passei pelo Sul da Itália e é mentira que tenham entrado imigrantes lá em barcos. Não vi barco algum com africanos”

Antes de tudo, quem não desconstrói e não sai de si, não percebe o outro, não evolui e continua ignorante.

Ponto final: Tem criatura que é brasileira, mora no Brasil uma vida inteira, viaja pelo mundo todo e continua gritando Lula livre…

Já Sócrates nunca saiu de Atenas. Aliás, uma única vez, foi lutar numa cidade vizinha. Além de ser considerado pelo oráculo o homem mais sábio do mundo, era um guerreiro espetacular.

E você aí pensando quantas vezes vai ter que ir às ruas gritar pelos seu país e o seu povo.

Quantas forem necessárias…
Até quando?
Junia Turra

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *