Cochilou? O cachimbo cai

Para Raquel Dodge, o ex-presidente está enquadrado nos critérios de inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa
(foto: Carlos Moura/SCO/STF)

Ontem a imprensa – até no Nepal – torceu o nariz para a tentativa de se fazer candidato um criminoso com sentença transitada em julgado. “O presidente corrupto Lula da Silva”: assim noticiado na Índia, na Indonésia, na China, etc e etc…
Lula só não é corrupto pra quem tomou um porre de tarja preta com data de validade vencida, misturou com álcool e confundiu cidadania com crime organizado, despotismo, turma da mamata no poder e manutenção do controle sobre aqueles que devem ser tratados como escravos em meio a uma nomenclatura pra confundir e impor palavras de ordem, no melhor estilo militar zumbi. Ou seja, posam de esquerda, mas não passam de vagabundos folgados, totalitários e que impõem o ódio e a divisão para lucrar com o caos. Deixam o capitalismo selvagem no chinelo!
E o palavrório?
E aí guerreira, namastê, gratidão, bom diaaaaa, boa tarde, Deus no controle. E falta médico e equipamento mas tem o immmmannnnuel psicografando de lá.
Cadê o joint e o Rivotril?
E boraaaaa, vamos criar o crime de feminicídio. Mas já tem o homicídio e os agravantes para aumento de pena. Mas qual a pena máxima no Brasil? Ninguém sabe , ninguém viu.
Nunca leram nem o artigo 5 da Constituição onde consta que “somos iguais perante a lei, independente de raça, credo, sexo…”
Com a tecnologia na mão e o brasileiro opta pelos minutos de fama – quer aparecer. Não sabe o que é ler!
E reclama que o Guilherme de Pádua saiu logo da cadeia…
Acorda pra vida: mesmo se condenado a mil anos, a pena máxima no Brasil é 30 anos. E com bom comportamento, sai da jaula em pouco tempo. A culpa não é dos Nardoni, da Richthofen e do Lula ou do Guilherme de Pádua. É sua que não exige mudança da lei! E nem conhece a lei.
Mais…
Tendência em transformar sentença de agressão contra mulher em pagamento de fralda geriátrica. Ainda mais se o réu for influente.
E vale no vice-versa, pra tentar parecer que a.coisa está sendo resolvida. Criam casos, tipo o da Luiza Brunet tentando se dar bem em cima de velho milionário. Quem era o agressor? Era ela. A mídia tentou fazer o caso vingar, mas tudo filmado! Os filhos do velho não deixaram barato. Melhor esquecer, né? Saída à francesa…
Os que querem parecer cool e antenados postam lá a foto do negro e escrevem: lindoooo, e ninguém pode falar que é feio. Não percebem que são tolinhos.
A liberdade pessoal de achar esse feio ou bonito é distinta de agir com discriminação e racismo. Quem não percebe isso sofre, antes de tudo, de uma necessidade absurda de ser aceito e incluído num grupo.
Não vai dar pra alcançar o sucesso por pura falta de talento. E de personalidade!
A não ser que seja lançado num esquema de clichê – tipo o Pablo Vittar. Descartável!
No frigir dos ovos: é a turma do gópi! Discriminar, corromper – eles podem! Podem tudo. Chega!
Lá vem o arvoredooooo…
E lá vem aquele bando gritando “noooovo, novooo”. Vote no arvoredo, no azedo, no bom filho, bom pai, bom neto…. O velho golpe do noves, fora, nada. Se colar, fica tudo como antes. Amoedo? Nessa carta marcada, o naipe é outro! Trucoooooooooooo!
Então… É só não desviar do foco principal.
Assunto encerrado. Segue o jogo. Aquele que é ignorado, não existe!
Vale para o Lula Azedo e para o Zé ninguém Amoedo.
https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/08/15/interna_politica,700506/raquel-dodge-impugna-a-candidatura-de-lula-a-presidente-da-republica.shtml?utm_source=onesignal&utm_medium=push

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *