1 de julho de 2022
Junia Turra

A Pátria mãe

A Mãe em cada um de nós

O ser humano precisa de uma referência.
E referência do SER. E não de TER.
Esta a grande diferença da “evolução”.
O Brasil já FOI um país multicultural, abençoado por Deus e bonito por natureza.
Hoje é mais um país na categoria dos piores do planeta.
O país é como a família.

É preciso garantir princípios e solidificar a base.
E ficar alerta na formação, nas influências – “olha com quem andas que te direi quem és”.
Ainda assim, nem base sólida, nem boas influências dão jeito na falta de caráter e certas”alterações” do ser .
Psicopatas e certos tipos psicológicos não são exceção entre nós. E se infiltram onde está o poder e o dinheiro. Eles buscam a luz e se cercam daqueles que tem luz para ver se alcançam a luz no fim do túnel. O tal do “pote de ouro no final do arco-íris”. A metáfora do que vem depois…
É claro que tudo se transforma mas a vida é eterna.
Temos que observar com atenção:
A ideologia imposta ao país pelo Sr. FHC, Ruth Cardoso, Serra e a turma dele, e que garantiram Lula , o PT, a corja em demais partidos que sitiaram os Três Poderes e o país nas entranhas da Educação e dos princípios de família. Eles não podem e não devem ficar. Nem uma única pedra sobre pedra!
A Pátria mãe terminal, ainda agoniza.
Hoje, façamos uma reflexão mais elevada.
Mãe é palavra símbolo: vida, referência, apoio.

Muitas mães não são mães. São algozes.
Muitos pais são Kronos (filho de Uranus e Gaia) que comia seus filhos. Kronos era um dos Titãs.
Abro parênteses: (Kronos tirou o poder do pai, ocupou o lugar dele, e para não perder o poder ele comia os próprios filhos quando nasciam.
Mas um dos filhos de Kronos , Zeus, foi salvo pela mãe Rhea. Quando ele nasceu, Rhea enrolou panos numa pedra e deu a Kronos como se fosse Zeus.
Foi Zeus o filho que depois lutou contra o pai e salvou os irmãos Hestia, Hades, Poseidon, Demeter, Zeus, Hera. Eles são deuses do Olimpo, assim como Zeus e os filhos dele: Athene, Apollon, Artemis, Hermes, Dionysos, Hephaistos, Ares, Aphrodite).

Nossos valores e princípios de Família e da nossa cultura greco-romana estão por um fio neste turbilhão de gêneros, de sodomia, droga, corrupção e crime organizado.
Todo cuidado é pouco. Tem muita mãe que é “filha da mãe”. Sociedade doente. Isso! Bebês sendo forçados e ensinados a usar drogas pelas mães. Mães que deixam filhos serem abusados. Mães que se entopem de tarja preta e enfiam o mesmo nos filhos e netos.
O Brasil não escolhe classe social, mas sofre de vícios medicamentosos que levam a distúrbios psíquicos e físicos.
Não existe no mundo inteiro casos de aneurisma cerebral como no Brasil e nem de vício em drogas e tarja preta na infância, depressão e suicídio em larga escala como no Brasil. E as pessoas acham que está “tudo bem”. Não podemos seguir este caminho. Chega!
É hora de nos unirmos. E todos, cada um de nós vestirmos a carapuça do “ser mãe”. Vamos cuidar uns dos outros.
Seja , pai, seja mãe, seja filho, seja amigo ou conhecido: sejamos “mãe”.
No carinho e no rigor necessário….
A Pátria mãe!
Ela precisa de cada um de nós.
Temos que diferenciar filhos da Pátria de filhos da p…
E expulsarmos quem se esconde no papel de mãe – bruxas oferecendo aos filhos maçãs envenenadas.

author
Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.