Os cães ladram e a caravana passa…

O Presidente americano, o homem mais poderoso do mundo, e sua esposa, testaram positivo para o Covid-19. Após uma hospitalização relâmpago, Trump, “sem sintomas”, se prepara para o segundo debate virtual, decisivo para se reeleger no dia 3 de novembro.

Nas redes sociais, um candidato da Califórnia à vaga no Congresso americano disse “esperar “que tanto o presidente Trump como o seu rival, Joe Biden, morram vítimas da pandemia.

Ao se eleger, democraticamente, Bolsonaro foi também amaldiçoado. Juraram “incendiar o país, por greves, ocupações, mobilizações… não haveria um dia de paz no Brasil”.

No provérbio árabe, os cães ladram…

Jornalistas da sórdida mídia brasileira, que comungam do mesmo sentimento de ódio de incendiar o país, prestam apoio ideológico aos derrotados nas urnas através do terrorismo jornalístico de perseguição ao Presidente, à sua família e ao seu governo.

Se empenham em editar escandalosas manchetes diárias das “rachadinhas” no Rio de Janeiro, tendo antes enaltecido a mais criminosa rachadinha da história do Brasil, criada pela ex-presidente Dilma, ainda impune.

Em afronta aos médicos brasileiros, ela importou médicos cubanos com salários de R$ 11.520, mas só recebiam cerca de R$ 3 mil – o resto era enviado ao governo de Cuba. Recebeu os aplausos da milícia cubana pelas milionárias obras que financiou em Havana, a fundo perdido pelo BNDES, ao invés de construir hospitais e escolas no Brasil.

Esquerditas-comunistoides conspiraram no STF e conseguiram soltar o ex-presidente condenado por corrupção e lavagem de dinheiro em todas as Instâncias.

Lula solto, sem tornozeleiras, comandou a campanha difamatória mundial anti-Brasil. Tudo foi preparado para detonar o “embuste” do Presidente Bolsonaro na 75ª Assembleia da ONU.

Antes Lula viajou para Roma. Coincidência, meses após receber a vergonhosa bênção papal, a Cittá foi abalada pelo grande escândalo de corrupção no Banco do Vaticano, que levou à “’renúncia” de um dos cardeais mais poderosos da Igreja Católica.

O combinado era o criminoso Lula, depois do Nosso Presidente discursar na ONU, fazer uma denúncia para a mídia internacional, acusando o Presidente Bolsonaro de ser o incendiário mor da Amazônia e o governo de ditadura militar.

Dava como certo obter uns 10 minutos da fala de ódio no JN da TV GLOBO, além da participação do Papa, criticando as “queimadas” do “novo colonialismo” na Amazônia.

A longa denúncia de 22 minutos demonizava os fatos. Só circulou nas impopulares redes sociais petistas, onde se autoproclamava o Salvador da Pátria, obstinado na volta ao poder e ao trono da corrupção.

A caravana passa…

As prévias municipais comprovam: a campanha anti-Brasil, insuflada pelo PT, associado a “interesses escusos” de organizações internacionais, só fez promover o “avanço do bolsonarismo e isolar o PT” de alianças partidárias nas maiores cidades do país.

Mais do que nunca as próximas eleições vão confirmar que, apesar da odiosa perseguição dos adversários derrotados nas urnas, o governo Bolsonaro vem conseguindo que o Brasil do futuro fique em permanente encontro com o seu futuro de ordem e progresso.

Com a proteção de Deus, o Presidente de Todos os brasileiros há de vencer a pandemia da coronavírus e a propagação dos incêndios nas matas, assumido o Brasil soberanamente a sua posição de potência ambiental com sua Amazônia verde amarela.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *