Passat VR6 Exclusiv: da glória à sarjeta

14195459_1735342360053616_375724980245166361_oPassat Exclusiv VR6 1995/6

Em meados da década de 1990 do século passado, a VW começou a trazer modelos fabricados no México e na Alemanha para compor – e atualizar tecnologicamente – a fatia mais cara de sua linha para o nosso mercado. No topo da pirâmide estava o Passat Exclusiv VR6, que tinha um acabamento caprichado, bancos de couro e o famoso motor de seis cilindros levemente inclinados (para ocuparem menos espaço e, assim, permitirem que o bloco fosse um pouco mais curto, veja lá no final deste post) que esbanjava torque (veja a ficha técnica mais abaixo) e fazia com que o modelo fosse bem legal de dirigir. Em pouco tempo, esse Passat de terceira geração com sotaque chucrute virou sonho de consumo por aqui.

passat-vr6-1994VW Passat VR6

Mas, num prazo não muito maior, começou a cair em desgraça pelo altíssimo custo de manutenção e eventual reparação. O resultado disso é que, pela primeira vez desde sua chegada ao país, a tradicional marca alemã viu um produto seu amargar uma grande depreciação para a revenda. Algo, aliás, que era comum a quase todos os importados daquela primeira safra que, em dois ou três anos, chegavam a perder 50% ou mais de seu valor. Dificuldades para conseguir peças de reposição, preços exorbitantes cobrados pelas oficinas autorizadas – que muitas vezes eram as únicas a possuírem equipamentos e peças para os serviços necessários – e, também, impostos anuais (IPVA) proporcionais aos valores de tabela transformaram o que era sonho em pesadelo para muita gente.
Hoje, é comum encontrar carros de luxo daqueles tempos largados junto às sarjetas, com muita sujeira acumulada e poucas chances de voltarem a rodar como em seus dias de glória – mais ou menos iguais a este (lá no começo do post), que eu fotografei no Rio esta semana. Vê-lo assim, além da natural melancolia de quem gosta de carros e nunca quer vê-los “morrendo”, soa para mim como um daqueles sinais inequívocos (que não deixam dúvidas) de que estou ficando velho. Isso porque, acreditem, guiei um carro igualzinho a esse vermelho aí da foto, em 1995, no autódromo de Interlagos, num evento de lançamento da então “nova linha Passat” promovido pela fábrica. E lá se vão 21 anos!
VW Passat Exclusiv VR6*
Motor:
Dianteiro, transversal, 6 cilindros em V, 2.792 cc.
Potência: 174 cv (a 5.800 rpm)
Torque: 24 kgfm (a 4.200 rpm)

033012side2Motor VW VR6

Câmbio: manual de 5 marchas / automático
Freios: a disco nas 4 rodas
Peso: 1.325 kg
Aceleração: 0 a 100 km/h em 8,7 segundos
Velocidade máxima: 224 km/h
Consumo médio: (cidade/estrada) 9 km/litro
(*) dados de divulgação na época do lançamento.
FONTE: REBIMBOCA ONLINE

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *