28 de maio de 2022
Veículos

Mamãe fantasiada de caçadora

A Chevrolet Spin é sem dúvida um caso de sucesso entre os automóveis hoje vendidos no país. E para comprovar isso não é necessário gastar tempo ou recursos com pesquisas ou levantamentos, basta dar uma olhadinha nas ruas das grandes cidades brasileiras. Aqui no Rio, por exemplo, a minivan está presente aos montes. E perceber isso fica ainda mais fácil porque, como é um dos modelos favoritos dos taxistas, uma grande parte desses carros está pintada no nada discreto Amarelo Java. Ainda que ostentando um inocente prateado, a versão Active da Spin que tive a oportunidade de avaliar também não tem a discrição entre seus atributos. Na prática, ela é quase igual à versão topo de linha LTZ, só que enfeitada por detalhes de inspiração aventureira como faixas laterais, para-choques escuros, rack pintado e um chamativo – mas totalmente dispensável – pneu sobressalente preso à tampa traseira. Procurei, no entanto, ir além das aparências para avaliar o carro. Você vai conferir isso no vídeo da TV Rebimboca a seguir e, também, no texto e nas fotos deste post.

A (breve) saga das minivans no Brasil
Era uma vez um tempo em que as minivans eram as donas do pedaço. Sonho de consumo de 9 em cada 10 mamães de família, aqueles carros com formas de variados pãezinhos haviam desbancado as tradicionais caminhonetes (ou peruas) e se multiplicavam pelas ruas brasileiras, conquistando cada vez mais espaço com seu generoso espaço interno, posição elevada de dirigir e grande praticidade.


Minivans e similares que estiveram ou estão à venda no Brasil recentemente
Montagem HK com fotos de divulgação

Aos poucos, porém, de mansinho, esses veículos com jeitão de comercial de margarina foram saindo de moda. No lugar das aconchegantes e bem humoradas minivans, os sisudos e bem menos sutis SUVs, foram conquistando terreno, principalmente o terreno asfaltado das cidades e o topo da lista de desejos das volúveis mães e pais de família. Um a um, os alegres pãezinhos de forma nacionais daquela geração foram despencando nas vendas e boa parte deles acabou saindo melancolicamente de cena – e de linha. Seria o fim? Nããão!

Chevrolet Spin Active 2017

Cercada de rivais com jeito country por todos os lados, uma representante desse segmento de automóveis não só resiste bravamente no mercado como está entre os 25 modelos mais vendidos no país, liderando sua categoria e sendo a preferida de cinco em cada dez taxistas cariocas. Ela é a Chevrolet Spin!
É, eu tinha bolado esta abertura bombástica para usar no vídeo, até ensaiei um tom de narração grandiloquenteí, mas, depois desisti. Não que a imagem seja imprecisa – além da Spin e da Jac J6, só encontrei a muito mais cara Citroën C4 Picasso e, forçando um pouco a barra, o Fiat Dobló (que pra mim não é minivan) como concorrentes diretos. Mas acabei achando que tudo isso ficaria meio sem sentido para introduzir uma versão do carro que é justamente uma tentativa de fazer com que uma minivan fique, vá lá que seja, com cara de SUV! É como se, numa daquelas tediosas tardes de chuva da infância, mamãe se fantasiasse de caçadora para brincar e distrair a gente.

Esse tal jeito de SUV, no entanto, na prática, se limita mesmo à visão sem muita atenção da traseira do carro, com aquele baita pneuzão dependurado na tampa. Fora isso, ele é o mesmo Spin de sempre, com alguns simpáticos (eu gostei) detalhes de acabamento diferenciados em bancos, para-choques e laterais e um bom pacote de itens de série incorporados.
Beleza não põe mesa
Convenhamos, a estética não é o forte da Spin. Desenvolvida para o nosso mercado e com a missão de substituir, de uma só vez, as minivans Zafira (maior) e Meriva (menor), ambas de origem alemã Opel, ela utiliza a mesma plataforma do sedã Cobalt (veja abaixo) e tem um jeitão meio desengonçado.

O Chevrolet Spin utiliza a plataforma do sedã Cobalt | Arte HK sobre fotos de divulgação

As linhas da dianteira, principalmente, não remetem nem vagamente à sutileza e a mim lembram as de, hum, um calcanhar. Mas basta entrar no carro para perceber que, o que foi aparentemente economizado em beleza, foi muito bem aplicado em praticidade, ergonomia e conforto. Simples ao extremo, tanto em soluções quanto em materiais, o carro oferece um ótimo espaço interno, roda macio e silencioso (pelo menos em baixas e médias rotações do motor) e é extremamente dócil e fácil de dirigir. E ainda tem aquele porta-malas enorme lá atrás.

Interior do Chevrolet Spin Active 2017

Com o já consagrado e algo defasado motor 1.8 (principalmente se compararmos à nova geração de propulsores 1.4 turbo da própria Chevrolet) e câmbio automático de seis marchas, ela anda direitinho no trânsito e não cansa. E, apesar da altura, não passa aquela sensação de “joão bobo” que modelos desse tipo – e, em particular, sua antepassada Meriva – passavam ao motorista. É macia, sem ser molenga e muito menos instável.
Como chego a comentar no vídeo, não sou lá muito chegado a minivans, mas compreendo porque esta, a despeito da quase ditadura dos SUVs, se mantém tão firme no mercado, aparentemente imune ao modismo. E o motivo está em suas inegáveis qualidades utilitárias, além da boa imagem que cultiva entre seus proprietários em relação à manutenção e valor de revenda – duas coisas que não se conquista com puro marketing.
Vamos à ficha técnica:
Chevrolet Spin Active 2017:
MOTOR: Dianteiro transversal, bicombustível de 4 cilindros e 8 válvulas.
POTÊNCIA: 106 cv (gasolina) / 111 cv (álcool)
TORQUE: 16,8 mkgf @2800 rpm (gasolina) / 17,7 mkgf @2600 rpm (álcool)
TRANSMISSÃO: Automática de 6 velocidades
FREIOS: discos ventilados (dianteira) e tambores (traseira)
SUSPENSÃO: Independente tipo “McPherson” com barra estabilizadora (dianteira) / semi independente com eixo de torção e barra estabilizadora (traseira)
DIMENSÕES: (mm): 4,360 (comp.), 1,735 (larg.), 1679 (alt. máx.), Distância entre eixos 2,620
CAPACIDADES:
Tanque de combustível – 53 litros
Porta-malas (litros, até o canto superior do encosto do banco/até o teto): 710 / 1.021; com a 2ª fileira de bancos rebatida: 1.068 / 1.841
PESO: 1,186 kg
PREÇO (para veículo idêntico ao testado): R$ 73.290

Chevrolet Spin Active 2017 e Nissan Gran Livina
Jornalista, blogueiro e motorista amador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.