7 de julho de 2022
Veículos

Ano novo sem (alguns) modelos veteranos

Test-drive com o Chevrolet Joy 2020 – ruas e estradas | Henrique Koifman

Este comecinho de 2022 tirou das concessionárias, de uma só vez, uma série de modelos veteranos e versões, de várias marcas. De memória, menciono os Fiat Uno, Grand Siena e Doblò (abaixo), os Chevrolet Joy (acima) e Joy Plus e o Renault Sandero RS. Antes, no último trimestre do ano passado, “morrera” o VW Fox. Alguns deles até vendiam razoavelmente bem, especialmente neste período em que há mais procura do que oferta de veículos novos no mercado. Além disso, para as montadoras, fabricar e vender produtos por mais tempo é quase sempre vantajoso. Então, por que se foram?

É claro que o fato de já estarem, cada um de seu modo, defasados em relação à concorrência, tendo cumprido seu ciclo de vida, pesa e muito para a aposentadoria. Mas o que definiu este período especificamente para saírem de linha foi a entrada em vigor, neste mês de janeiro, da fase L7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, o Proconve. Ela traz regras ainda mais rígidas para as emissões de gases poluentes pelos carros novos, implicando, entre outras coisas, em alterações em componentes dos carros, como o catalisador – que deverá ter durabilidade maior – e o filtro de vapores do tanque de combustível.

Fiat Uno CiaoFiat Uno Ciao | divulgação

Enquanto os modelos mais recentes já nasceram adequados a essas exigências, os mais antigos (como o Uno, acima) precisariam receber atualizações que exigiriam investimentos e alterações em seu processo de produção. Fazendo as contas, as montadoras optaram por usar esses recursos em novos projetos e ações de marketing para seus para carros novos. (Abaixo, o VW Fox)

VW Fox Run 2017 | Henrique Koifman

No caso do interessante Renault Sandero RS (abaixo), como já havíamos mencionado aqui na Rebimboca, a produção já era reduzidíssima. Equipado com um antigo motor 2.0 aspirado, ele se tornou ainda mais ecologicamente incorreto para as ruas. Os motores, aliás, são o principal motivo para a defasagem. Não por acaso, a Stellantis está, também, retirando de seus carros (Fiat Argo e Toro e Jeep Renegade) o veterano 1.8 E.torQ, substituído por opções mais modernas – como o 1.3 turbo GSE de 185cv.

Henrique Koifman e o Renault Sandero RS Racing Spirit | Alexandre Kacelnik

Joy só para exportação

Já em relação ao Chevrolet Joy (abaixo) e de seu sedã, o Joy Plus – ambos versões básicas da geração anterior do best-seller Onix –, a aposentadoria se limitou ao mercado brasileiro. Ambos continuarão, ao menos por enquanto, sendo fabricados aqui para serem exportados para outros países em que essas regras ainda são tão rígidas.

Test-drive com o Chevrolet Joy 2020 – ruas e estradas | Henrique Koifman

Como em toda a mudança de legislação para produtos – carros ou quaisquer outros, salvo representem algum tipo de risco ao consumidor –, claro, esses e outros modelos fora de linha terão seus prazos de garantia respeitados e poderão continuar a circular pelas ruas e estradas brasileiras, sem nenhuma restrição, até o fim de seus dias. Daí que, se você estiver interessado em algum deles e conseguir achar um exemplar novo em uma concessionária com um bom desconto, pode valer a pena comprá-lo.

Fonte: Blog Rebimboca

Jornalista, blogueiro e motorista amador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.