20 de julho de 2024
Adriano de Aquino

Gilmar para poucos


Todos os dias o brasileiro assiste êxitos da Escola Gilmar no game ‘Liberdade para Poucos’.
Gerson Palermo, chefe do tráfico internacional, condenado a 59 anos de cadeia, teve seus bens bloqueados pela justiça.
Ontem, confirmando mais um êxito do legado Gilmar para Poucos, uma aeronave e outros bens sequestrados durante investigação da PF contra o piloto, foram devolvidos por decisão de um juiz para o ‘suposto’ réu.
No detalhe: Gerson Palermo é chefe de célula do PCC (Primeiro Comando da Capital em Campo Grande – MS).
Quando se trata de crimes, a regra da grande imprensa brasileira é que todos são ‘suspeitos’, mesmo os réus condenados nas instâncias inferiores, até terem seus processos ‘transitado em julgado’ no STF, fenômeno jamais visto pelas últimas gerações de brasileiros.
Milhões de brasileiros jamais viram um processo ‘transitado em julgado’.
Esse treco se tornou uma espécie de OVNI, para a o orgulho da escola Gilmar e a alegria dos criminosos.

Adriano de Aquino

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *