Vamos conhecer Nazaré?

Nazaré, a 125km ao norte de Lisboa, ficou internacionalmente conhecida por suas ondas gigantes que fazem a alegria de surfistas muito, muito corajosos, eu diria. Mas essa vila de 10 mil habitantes vale ser visitada mesmo fora da temporada do surfe: suas praias são lindas e, em seu centro histórico, está localizado o Santuário de Nazaré, de grande importância religiosa. Sem esquecer de seus peixes e frutos do mar em geral, fresquíssimos e deliciosos.

Vista da cidade de Nazaré e da Praia de Nazaré, a partir do Miradouro do Suberco, localizado no topo da colina.
(Fonte: Mônica Sayão)
Imagem a partir da Praia de Nazaré, com a colina ao fundo, onde está o Santuário.
Por trás da colina está a Praia do Norte, onde as ondas gigantes acontecem durante o inverno.
(Fonte: Mônica Sayão)

Vamos começar pelas ondas gigantes, que despertam muita curiosidade. Nazaré possui duas praias, que são longas e de areia clara: a Praia de Nazaré (em frente à cidade) e a Praia do Norte (onde só há vegetação, nada de construções). Entre elas há uma colina onde fica o centro histórico.

As ondas gigantes de Nazaré impressionam. (Fonte: Miguel A. Lopes)

As ondas gigantes, que chegam a 30m de altura, acontecem entre novembro e março, no inverno de Portugal. O motivo principal é um desfiladeiro submarino, com profundidades que variam de 50m a 5mil metros, que existe no fundo do mar da Praia do Norte. Esse desfiladeiro é chamado de Canhão de Nazaré.

Quem poderia nos explicar com total conhecimento de causa é Maya Gabeira, filha do nosso querido Fernando, super campeã de ondas gigantes, e que passou por um sufoco danado em 2013, justamente surfando em Nazaré.

Claro que várias situações contribuem para as enormes ondas. Eu visitei Nazaré em janeiro de 2018 e não houve ondas grandes durante toda aquela semana. Os locais me disseram que era por falta de chuva longe no Oceano Atlântico, onde elas começam a se formar. Será?

Outro atrativo é o Santuário de Nazaré, localizado justamente no topo da colina entre as duas praias da cidade, no bairro que se chama Sítio. O Santuário pode ser acessado a pé (socoooorro!), de carro ou de teleférico. É local de peregrinação.

Santuário de Nazaré. (Fonte: Mônica Sayão)
Imagem de Nossa Senhora de Nazaré que foi trazida de Mérida em 714 e que ficou escondida por 468 anos entre as rochas da colina. (Fonte: Mônica Sayão)
Interior da igreja. (Fonte: Mônica Sayão)
Detalhe do altar. (Fonte: Mônica Sayão)

O interior da igreja é muito bonito e singelo. Mas o que mais me impressionou foram as salas adjacentes à igreja, recobertas por azulejos maravilhosos do início do século 18.

Esse foi o ambiente que mais me impressionou. (Fonte: Mônica Sayão)
Detalhe do teto abobadado da foto anterior. (Fonte: Mônica Sayão)

Do outro lado da praça do Santuário encontra-se a Capela da Memória. Conta a tradição que a capela foi mandada construir por D. Fuas Roupinho, um nobre da região, depois do milagre que lhe aconteceu, em 1182. A capela foi construída sobre a gruta onde a imagem estava escondida.

Capela da Memória, construída sobre a gruta onde estava a imagem de
N. Senhora de Nazaré. (Fonte: Mônica Sayão)

Logo ao lado da capela encontra-se o Miradouro do Suberco, que proporciona vista linda da cidade e da Praia de Nazaré (ver primeira foto do post). E se andarmos mais um pouco em direção à ponta da colina, chegamos ao farol vermelho, lugar ideal para observação das ondas gigantes.

A visita à Nazaré não fica completa sem uma refeição num dos vários restaurantes de frutos do mar da cidade. Eles não são sofisticados mas oferecem o que há de melhor e mais saboroso no quesito. Almoçamos no Aki-Del-Mar, bem em frente à praia de Nazaré. Almoço memorável!

Logo na entrada visão do que nos aguardava! (Fonte: Mônica Sayão)
Item imbatível nas minhas escolhas. (Fonte: Mônica Sayão)
Sem comentários! (Fonte: Mônica Sayão)

E por último sugiro uma caminhada ao longo da praia. Bela maneira de fazer a digestão…

Ótimas lembranças… (Fonte: Mônica Sayão)
Se puder esperar o fim da tarde, melhor ainda. (Fonte: Mônica Sayão)

Notícias Relacionadas

2 Comentários

  • Avatar
    Edwiges Chiapetta Azevedo , 27 de abril de 2020 @ 19:05

    Monica, que fotos lindas de Nazaré! Fui há muitos anos atrás e me deu vontade de voltar.
    Bjss
    edwigesazevedo@gmail.com

  • Mônica Sayão
    Mônica Sayão , 28 de abril de 2020 @ 11:40

    Edwiges querida,

    Nazaré foi uma agradável surpresa e o santuários é belíssimo.

    Muito obrigada, como sempre!

    Beijão,

    Mônica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *