4 de julho de 2022
Colunistas Walter Navarro

O preço da traição: Bolsonaro derrotando 1 a 1

Entrevista feita por Paulo Navarro, para o jornal O Tempo, com o Cirurgião Plástico – e nosso colunista – Dr Carlos Eduardo Leão.

“Veja a lista das pessoas que eram grandes e hoje não passam de um monte de derrotados.

1 – Rodrigo Pacheco (Sonso) / Alcolumbre (Batoré) / Rodrigo Maia (NHONHO).

Eram gigantes, se achavam primeiro ministros do Brasil. Hoje, são um zero à esquerda, ajudados pelo presidente, foram eleitos presidentes do Senado e Câmara. Nunca MAIS voltam ao cargo, pelo preço da traição.

2 – Joice Hasselman (Pepa)

Foi uma grande jornalista da Veja, apresentadora do maior programa de direita do Brasil, os Pingo nos Is, ao lado do mestre Augusto Nunes, Zé Maria e Fiuza. Foi a mulher mais bem eleita do Brasil com mais de um milhão de votos, foi líder do governo no congresso, mas inventou de trair Bolsonaro, dando o golpe para defender a quadrilha do PSDB, se derreteu, ela e o PSDB. Tentou ser prefeita em São Paulo, mas conseguiu apenas 1% dos votos, e amargou na última posição. Hoje virou um zero a esquerda. iniciou seu primeiro mandato e nunca mais será eleita, pelo preço da traição.

3 – Felipe Moura Brasil e outros ex-ruandês jornalistas.

Foi apresentador de Os Pingos nos Is, repórter de muita moral da Veja (a tiragem caiu de 1 milhão para 80 K exemplares, ninguém mais lê) enfrentou Bolsonaro, se lascou, virou outro zero a esquerda. Pelo menos vinte e oito pessoas, grandes inimigos de Bolsonaro, famosos, incluindo políticos, jornalistas, professores, morreram de enfartes e covid, logo depois que publicaram em suas redes o ódio e o desejo na morte de Bolsonaro. Hoje não são mais lembrados, exemplo: Paulo Henrique Amorim e outros jornalistas insignificantes, comunista que fez um blog sujo, “Falando a Verdade” e mentia 24 horas contra Bolsonaro.

4 – W Witzel (Soberba em pessoa)

Governador eleito no Rio de Janeiro, juiz que cresceu na onda: bandido bom é bandido, morto, foi eleito graças a Bolsonaro, mas a soberba subiu ao coração e quis ser maior que Bolsonaro, resolveu desconstruir o presidente para tomar seu lugar e ainda aproveitou a pandemia para acusar o governo que lhe pôs no poder por causa da sua popularidade. Resultado: foi deposto, sofreu impeachment, foi humilhado, fracassado, responde por corrupção. Hoje é um zero a esquerda, iniciou a carreira política, e se acabou no primeiro mandato, pelo preço da traição.

5 – Dayane Pimentel (Traiane), professora, contra a escola destruída pela doutrina da Bahia, eleita em um dos Estados mais corruptos do Brasil, a Bahia. Defendia família, pátria, moralidade, liberdade, teve uma grande expressiva votação por causa de Bolsonaro e seu discurso ético, foi na onda dos traíras, também traiu Bolsonaro, hoje é uma fracassada parlamentar. Não conseguiu se eleger prefeita de F. De Santana e depois se uniu ao PT. Seu último mandato deve se acabar em 2022 e voltará a ser professora, pelo preço da traição.

6 – Raquel Sherazad
Tornou-se uma das maiores jornalistas do Brasil, foi âncora do SBT, cresceu na onda Bolsonaro, defendeu a morte de bandido, e defendeu Bolsonaro contra Maria do Rosário, depois que descasou, conheceu um esquerdista que lhe fez a “cabeça” e a partir daí, esqueceu seus princípios, tornou-se feminista, ficou do lado do ladrão molusco, tornou-se inimiga de Bolsonaro e deixou de atacar as vítimas da sociedade, foi mandada embora do SBT, hoje é uma jornalista de blog sujo do PT. Esse foi o preço da traição.

7 – Alexandre Frota (Fruta)
Depois de sua vida fracassada como ator pornográfico, fez filmes com travestis, depois ingressou na política, entrou na onda Bolsonaro, bandido bom é bandido morto, logo depois da vitória voltou à sua origem esquerdista em defesa da depravação moral, tornou-se inimigo de Bolsonaro e de seus filhos. Foi apagado da vida pública, apagou suas redes sociais por não suportar as críticas. Hoje é um zero a esquerda. Desistiu de se reeleger , não tem mais votos. Está sendo tirado da política em 2022 pelo preço da traição.

8 – Movimento Vem Pra Rua
Foi o segundo maior movimento de direita do Brasil. Defendeu Bolsonaro e o povo nas ruas, logo depois da eleição, se uniu com Dória para derrubar Bolsonaro, fracassado, decaiu, hoje não leva 200 pessoas às ruas, pelo preço da traição.

9 – MBL (PIÇOL KIDS)
Maior movimento social do Brasil, criado por três jovens de direita, conservadores, se uniu a Bolsonaro, levou 6 milhões de pessoas, ajudou a destruir o PT e derrubada de Dilma. Depois que elegeram vários políticos, como dizia Olavo de Carvalho, eles não são mais de direita, vão sabotar o governo Bolsonaro, dito e feito. Hoje, os líderes fracassaram, foram humilhados, cassados, presos. MBL se juntou numa manifestação com PT e Ciro Gomes que foi o maior fracasso e vergonhosamente, juntou 800 pessoas. Esse foi o preço da traição.

10 – Kim Catapiroca e Mamãe Caguei )PIÇOL KIDS)

Carinhosamente receberam esses apelidos do saudoso professor Olavo de Carvalho. Foram eleitos na onda Bolsonaro, depois saíram tentando dar um golpe em Bolsonaro em defesa de Dória para presidente da República. Foram destruídos pela direita. Ficaram conhecidos como nazista e tarado por mulher pobre. Hoje, são dois zeros à esquerda pelo preço da traição.

11 – Dória (Calcinha Apertada)

Foi o grande aliado de Bolsonaro em 2018, eleito com o nome “Bolsodoria”. Dizia que bandido bom é bandido morto. Assim que foi eleito, ficou do lado dos bandidos, contra a polícia. A soberba subiu o seu coração para derrubar Bolsonaro. Foi o maior hipócrita e sociopata, comprou a mídia para destruir Bolsonaro colocando-se como o Salvador da pandemia e Bolsonaro, o genocida. Se uniu ao PT, multou Bolsonaro com inveja para tentar INTIMIDAR nas motociatas, em vão. Bolsonaro tornou-se líderes das ruas e Dória foi proibido de andar em São Paulo. Conseguiu 1% nas pesquisas, o próprio partido o sabotou, chorou e arregou na disputa para presidente pelo preço da traição.

12 – Mandetta (Mutreta)

Indicado para ser ministro da saúde, ficou do lado de Bolsonaro no início do governo, quando veio a pandemia, ele achava que poderia ser o salvador de vidas e no momento certo para destruir Bolsonaro e futuramente se tornar presidente do Brasil. Se uniu à esquerda, ficou do lado do tranca-tudo a economia a gente vê depois, milhares de brasileiros faleceram, se opondo a cloroquina por capricho e oposição a Bolsonaro, foi o responsável por demonizar o remédio que estava há 90 anos salvando vidas, simplesmente porque o remédio estava associado ao nome de Bolsonaro. Além disso, mandou o povo ficar em casa, aderindo a mentira da velha mídia , só procurar o hospital quando estivesse morrendo sem fôlego. Milhares morreram e depois colocou a culpa em Bolsonaro. Mandetta hoje, foi apagado da vida pública, é um zero a esquerda pelo preço da traição.

13 – Sérgio Moro (Marreco)

Foi o maior carrasco de bandido, prendeu o maior traficante do Brasil: Marcola e o maior ladrão do dinheiro público do mundo: 9 dedos , Foi considerado o décimo homem do mundo pela Revista Time, recebeu a pasta de Bolsonaro de super ministro, segurança e justiça. Durante a pandemia, por causa do terror da Velha mídia, a soberba subiu ao coração e quis ser presidente da República, traiu o Brasil na pior hora, deixou prender e algemar trabalhadores, acusou Bolsonaro em uma reunião fechada de perseguir a Polícia Federal, e depois vimos um presidente defendendo os brasileiros , se uniu a velha mídia , traiu Zambeli sua afilhada de casamento, ficou do lado do STF que tornou pública a reunião de ministério secreta, e para surpresa o Brasil, vimos Bolsonaro mais uma vez implacável, em defesa da liberdade do povo. Sérgio MorNO saiu envergonhado, e ainda dez subir a popularidade de Bolsonaro, o juiz se apagou , hoje não representa mais nada na política, sem votos, retirou seu nome da candidatura e mudou de partido, traiu o Podemos , a merda foi tão grande que deu bala ao ladrão para sair mentindo sobre sua inocência. De juiz de renome, se tornou num fracassado sem caráter político pelo preço da traição.

Não esqueçamos dos Bebíanos, Majores Olimpios da vida que nem mais aqui estão .

Resumindo, em 2022 será aniquilado o poder maléfico do STF, do TSE, da Velha mídia , do ex-presidiário e de seus puxadinhos, que serão defuntos políticos que nunca mais serão ressuscitados pela suprema corte, porque o senado será fortalecido e os inimigos do Brasil varridos e destruídos.

Imagem: Google Imagens – Creative Adesivos

Bolsonaro neles!”

Jornalista, escritor, escreveu no Jornal O Tempo e já publicou dois livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.