23 de maio de 2022
Editorial

Quando teremos uma renovação política no país?

Foto: Arquivo Google – http://cidadaniaesocialismo.blogspot.com/2014/08/noticias-e-fatos_18.html

A cada eleição, as mesmas raposas se apresentam com as mesmas ideias e ideais, ou seja, não há renovação, oxigênio novo, são sempre os mesmos se perpetuando no poder, seja por parentes ou por “colegas”. Para concorrer ao governo do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, quais os candidatos? O Brasil precisa de um choque de ordem em todos os sentidos, e não vejo nos atuais possíveis candidatos a mínima condição de enfrentar essa tarefa. Que seja criado um partido diferente de todos que aí estão, para atender à população e não aos interesses próprios. Aí, o cenário poderá ser alterado. Do contrário, ficaremos convivendo com os políticos de sempre.
Leio que Roseana Sarney, o clã dos Barbalhos, que Renan Filho (filho do senador Renan Calheiros) e outros, são candidatos a governadores, senadores etc. A renovação política não vai acontecer. A saber: o fundo partidário vai despejar nos cofres dos grandes partidos R$ 1,7 bilhão, para serem distribuídos conforme os interesses da cúpula. Nesse contexto, os outsiders serão tragados pela engrenagem da velha política. Não à toa Joaquim Barbosa jogou a toalha. Muda o doce, mas as moscas são as mesmas. Não basta bater panelas, abraçar praças… Imperioso conhecer os candidatos para votar bem, banir a velha política miúda, corrompida e interesseira do cenário político. Vai demorar, mas é importante começar.
Ainda sobre Roseana Sarney pensei: puxa, como nos tornamos um país, econômico e financeiramente falando, importante. Basta lembrar que há 16 anos Roseana foi afastada da disputa eleitoral porque alguém descobriu, na firma Lunus, da sua família, mísero R$ 1,6 milhão. Agora que evoluímos, em um único imóvel, do deputado Geddel Vieira, o montante encontrado foi de R$ 56 milhões. Como um dos parâmetros usados para avaliar a pujança de um país é o montante de dinheiro disponível na praça, não há como negar o nosso crescimento econômico-financeiro.
A Lava-Jato conseguiu muita coisa boa para o país, exceto acabar com a perpetuação de velhos políticos no poder. Isso acontece porque o fundo partidário só contempla os que lá estão, e os caciques dos partidos responsáveis pela distribuição dessa verba não querem renovação na política. Se não for feita uma reforma política na próxima legislatura ainda veremos por muito tempo as mesmas caras nesse Parlamento contaminado pela corrupção.

author
Advogado, analista de sistemas e editor do site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.