20 de maio de 2024
Uncategorized

A apresentação do MP e Lula

14310388_1331653213518970_5601390553953928538_o
A jornalista Barbara Gancia estava indignada com a qualidade do Power Point que o MP apresentou ontem em entrevista coletiva.
Ela tem razão. Quase pueril, coisa de quem não tem nenhuma habilidade ou não sabe da potencialidade daquele recurso. Feio, sem graça, nenhuma letrinha pulando, nenhuma figurinha saltando.
É uma pena que a Barbara não tenha lido, como eu, as 159 páginas que os rapazes disponibilizaram, cujo conteúdo, ainda que sabido, quando organizado é chocante. Mas isso não interessa a ela, dona da verdade e protetora dos bandidos que detonaram o País.
“Meninos” do MP, seus fofos, da próxima vez faço de graça pra vocês uma apresentação bem bonitinha, profissional, recheada de bonequinhos roubando, tirando empregos, entregando casas caindo e depenadas, licitações fraudadas dançando, leis Rouanet saltitantes, e Petrobras afundando. Tudo com muita cor e alegria, tá bom?
Quem sabe assim a Barbara se anime e leia o que interessa.
Ufa, saí do universo paralelo. Já estava passando mal, com tanta bondade. Pobre Lula que, na falta de lugar pra guardar os presentes recebidos durante suas gestões, levou tudo para um cofre do Banco do Brasil.
Lula, aqueles presentes não eram seus, eram do cargo. Portanto, teriam que ser deixados onde estavam.
Pobre Lula, que acabou de falar às pessoas pobres desse País. Espera ele que seja para os 12 milhões de desempregados que a política da Dilma produziu.
Pobre Lula, que fez com os empresários ganhassem tanto dinheiro nas suas gestões, que podem ter prejuízo por 10 anos. Por empresários leia-se Eike Batista, Grupo JBS e outros do mesmo padrão. As 400 mil empresas fechadas no ultimo período estão fora dessa contam, certamente.
Lula, cercado de servis comprometidos, psicopatas e esquizofrênicos, fez um discurso de candidato. Não falou sobre tríplex, sobre sítio, sobre a grana obscena amealhada sob a alcunha de “palestras”.
Esse homem tem que ser preso, antes que seja muito tarde.

O Boletim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *