D. Carminha


A ficha de dona Carminha está caindo. Segundo ela, “o cidadão está cansado de todos nós, inclusive do judiciário”.
Querida Carminha, permita-me tanta intimidade, mas é carnaval. É verdade, cansamos mesmo. Cansamos da procrastinação de um órgão que deveria promover justiça e não conchavos. Cansamos do teatro de horrores promovido pelo órgão que deveria ser exemplo para os brasileiros, mas não consegue cumprir uma mísera regra de procedimento.
Carminha, querida, eu soube hoje que um pedido de vista pode ser “vistado” por até duas sessões ordinárias. Você sabia, querida, que as Excelências ficam anos e anos com os autos de um processo, sem liberá-lo para julgamento? Diz pra mim, querida, quem é que organiza essa bagaça? Tem planilha de Excel? Um bedel com caderninho que sai cobrando produtividade? Veja, eu só queria entender, ok?
Amada, o pedido de vistas tem sido usado como instrumento de procrastinação há séculos, e não entra um bendito de um presidente para botar ordem nesse galinheiro, como pode?
Eu adoraria ter essa conversa com você em volta de uma boa xícara de café mineiro (aquele que a gente ferve com a água e depois coa no coador de pano) e um tanto generoso de pão de queijo. Mas sei que suas relações sociais são bem mais qualificadas.
Mas a sua equipe de comunicação é competente. Por isso vou me permitir um tiquinho mais de prosa.
Carminha, querida, cansamos de ver a arrogância do seu par, Gilmar Mendes, debochando dos brasileiros que carregam esse piano, confesso, cada vez mais insuportavelmente pesado.
Cansamos da prevalência da vaidade dos seus amigos na leitura dos votos, quando algum processo midiático é transmitido pela TV.
Carminha, meus cumprimentos, nunca vi uma única piscadela de sono de sua parte, mesmo nas leituras nauseantes do Celso de Melo, que invariavelmente recorre à Idade Média para justificar seu voto. Brava Carminha!
Menina, bate um papo com os rapazes do TRF4. Viu como eles se esforçaram para deixar a justiça mais palatável para quem assistia? Viu o didatismo? Viu a agilidade? Chama os meninos, fala com eles, porque para aprender nunca é tarde.
Ninguém aguenta mais a pose, a falta de sensibilidade para os problemas do País, a vontade exacerbada de parecerem eruditos. Ah, Carminha, que fardo o seu, né mesmo, fia?
Carminha, querida, quando tiver um tempinho, explica aqui pra galera, do andar de baixo, quais são as atribuições do presidente do STF e, também, do CNJ. Porque esse povo mal agradecido está achando que vocês são absolutamente dispensáveis.
Com amor,
Silvana

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *