3 de julho de 2022
Colunistas Junia Turra

O Seguro morreu de velho

Imagem: Google Imagens – RD1 (meramente ilustrativa)

Existe uma coisa que se chama ética. Em todas as profissões. Ética jornalística, por exemplo.

Roberto Cabrini, chutado, digo, dispensado pela Globo, vira ovelha na Record.

E vale para os tontos e os oportunistas que gritaram “a Record está com o Bolsonaro”. Desde quando se pode confiar no “Pedir Mais Cedo” preso por vários crimes, 171, por exemplo, décadas atrás, foi liberado liberado e saiu livre, livreeee, nem processo…assim do nada.

Passaporte diplomático para uma turma grande dele em qualquer governo. O “sobrinho” não é o que entrou com o dinheiro na filial da globalista CNN no Brasil? Sério? Dá-lhe laranjal…

Aaaaaah, a CNN vai acabar com a Globo. Mas, sério ôôô? That’s all folks.

Será que quem falou isso acreditava nisso ou era mesmo pra polarizar e enrolar o meio de campo?

Sabemos, oportunistas não faltam pegando carona na popularidade do presidente. Querem mesmo é verba partidária e serem eleitos ou cargos via eleitos. Cuidado!

Do outro lado, mais do mesmo. Lixinho…

Mas tem aí os que se vendem facilmente e enrolam gente que é idealista. Qualquer dinheiro na cueca está valendo. Eles se comem, são muito ruins de serviço.

Mas tem os que “tem método”.

Lembre-se tem o presidente e o povo. Não perca muito tempo com uns e outros. Siga o presidente e pense por si mesmo. Cuidado.

Não são formadores de opinião. São mamadores de ocasião. Não os profissionalize.

https://www.facebook.com/1513905409/videos/651293385832221/

author
Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.