22 de fevereiro de 2024
Colunistas Ilmar Penna Marinho

O dia seguinte dos mil anos

“Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.” (Apocalipse 20:1-3).

Na cidade de Angers, às margens do rio Loire, está exposta a fabulosa Tapeçaria do Apocalipse, de 1382, que celebra a revelação de São João.

São 70 cenas bíblicas, em que as telas Azuis lutam contra as Vermelhas dos “reinos corruptos da Terra”, prenunciam a vitória final de um “novo céu e nova terra”.

Nunca um versículo foi tão atual para semear a esperança de melhores dias.

Nunca vamos deixar de acreditar que o Senhor não seja capaz de nos salvar e proteger o nosso futuro de ordem e progresso…

Na noite do 30 de outubro de 2022, a indignação tomou conta de 58 milhões de eleitores.

No dia seguinte bandeiras verdes amarelas repudiaram os usurpadores do poder pelas fraudes eleitorais, endossadas pela judicialização da dupla STF-TSE, empenhada em obstruir por todos os meios legais e ilegais que Bolsonaro prossiga na presidência da República.

A Chapa petista venceu fraudulosamente a eleição, prenunciando a volta da corrupção impune, de mãos atadas com gananciosos empresários e banqueiros, jornalistas mercenários, cultores das mortadelas do ódio, artistas correligionários e traficantes armados até os dentes de ouro.

Com a ameaça da repetição dos tenebrosos governos petistas, a indignação se transformou numa resistência pacífica à imoral anulação de todos os processos penais do ex-presidiário, arquivados monocraticamente, não tendo sido o mérito das acusações analisado e julgado.

O povo acordou do pesadelo da votação fraudulenta para cobrar a volta do condenado solto para uma prisão comum, sem as regalias da cela VIP, com TV, sala de reunião e visitações.

No day after da eleição suja, o povo reage unido e ordeiro contra os Supremos Censores da dos meios de comunicação (Rádio Jovem Pan, o canal Brasil Paralelo e a Gazeta do Povo).

Contra os invasores de lares e escritórios de cidadãos, defensores da legalidade nas redes sociais, tendo bloqueadas as suas contas bancárias e banido o legítimo direito de expressão.

A comunidade internacional debocha da preferência fraudulenta por candidatos com passado criminoso: um ex-presidiário, condenado por corrupção em todas as instâncias e uma ex-terrorista de grupo de assassinos, assaltantes e sequestradores do embaixador americano.

Zomba do Togado Justiceiro da Suprema Corte Eleitoral, travestido em delegado de polícia, que reprimiu a propaganda eleitoral pró-mito e favoreceu a do Ladrão.

È hora de cobrar do Poder Legislativo uma legislação eficaz contra os corruptos, que erguem o poder e “o dinheiro ao céu como um DEUS”, apadrinhados por Togados de batistérios ideológicos.

É hora de cumprir com a nossa responsabilidade de apoiar o Presidente, vencido pelas fraudes eleitorais em séries, para que o Brasil avance e vença os demonizados inimigos da Pátria: petistas semeadores da desordem e do retrocesso, a sórdida mídia anti-Brasil e os Togados, que confundem o Fórum Jurídico com o Foro comuna de São Paulo.

Que Deus proteja o nosso Presidente vencedor e o povo unido nas ruas de verde amarelo, que jamais será vencido na luta pela Democracia e pela Justiça igualitária!

Ilmar Penna Marinho Jr

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *