BMW i4: os elétricos começam a ser padrão

Para quem ainda duvida que a eletrificação dos automóveis já está acontecendo – e que não é mais “coisa para depois”, eis aí nas fotos mais um modelo de zero emissões, o BMW i4. A marca alemã, aliás, está entre as que têm apresentado mais modelos híbridos e elétricos nesses últimos tempos e, não custa lembrar, tem uma bela e moderníssima fábrica aqui no Brasil.

De quase conceitos exóticos, os novos modelos elétricos da BMW já se parecem “normais”, objetos desejáveis por qualquer comprador de carros, mesmo que não seja particularmente interessado em questões ambientais. E, assim como os da marca bávara, o mesmo acontece com os novos Audi, Jaguar, Ford, Volkswagen… O estranhamento que os veículos “limpos” provoca no público está cada vez menor. Tanto que, para chamar a atenção, apenas essa qualidade já não é suficiente.

Em breve por aqui também

Pouco provável que, em mais cinco ou seis anos, ela já não esteja montando em Araquari, Santa Catarina, pelo menos algumas versões elétricas de seus modelos. Até porque, se não fizer isso, vai ter de se explicar à opinião pública no chamado Primeiro Mundo. Ela e todas as outras grandes marcas, sejam elas de luxo ou não. Afinal, ficaria muito esquisito uma empresa comprometida com as metas do milênio, a sustentabilidade etc. ter dois pesos e duas medidas para diferentes mercados do globo.

Se isso já foi possível algum dia, hoje significa um termendo prejuízo de imagem. E, no mundo automotivo, imagem conta quase tanto (às vezes até mais) que o conteúdo que se produz.

É claro que há e sempre haverá alguma diferença no modo e no tempo em que uma mudança radical como a troca completa da matriz energética nos veículos acontece em países distintos. Mas, uma vez que essa mudança acelere nos principais mercados – e isso já ocorre na Europa e na China, por exemplo –, a pressão para que se espalhe e que as novas tecnologias se tornem padrão global se torna irresistível.

Além disso, essa mudança de foco faz – já está fazendo – com que toda a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias, tanto de motores quanto de todos os outros componentes dos carros, incluindo os relacionados à segurança, seja desenvolvida para esse novo tipo de veículo. Para que gastar tempo e dinheiro melhorando produtos que, em breve, não serão mais produzidos?

Isso quer dizer que, além de ambientalmente – e socialmente – obsoletos, em mais alguns anos, os carros movidos apenas a combustão vão ficar cada vez mais defasados, em todos os sentidos.

Alguns dados do BMW i4:

Versão eDrive40 – motor de 340 cv (250 kW) de potência, torque de 43,84 kgfm.

Versão M50 – potência combinada de 544 cv e torque de até 81 kgfm (com Sport Boost), aceleração de 0 a 100 km/h em 3.9 segundos.

Fonte: Blog Rebimboca

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *