16 de agosto de 2022
Editorial

Quem não deve não teme… ou será que deve e teme?

mariano140216
Com certeza, a presidente tem razão quando diz que estamos sendo injustos com o ex-presidente Lula. Temos ainda que agradecer muito pelo grande assalto aos cofres públicos praticado pelos seus aliados políticos. Devemos agradecer também pela decadência econômica e moral do país, a supressão cada vez maior de nossos ganhos para cobrir o rombo fenomenal desses mesmos cofres e ainda, por consequência, pelo caos na rede de saúde pública. Nunca antes neste país vimos coisa semelhante. Sem dúvida, é o sistema lulopetista de governar. Será que, depois de todo o mal que foi praticado, o ex-presidente ainda pretende voltar?
Dilma, esquecendo a dimensão de seu cargo (ela teve algum dia?), sai em defesa de Lula. Afirma conversar com ele e acha que há uma injustiça nas denúncias que lhe são feitas. Em que mundo ela vive? Suas declarações e a incapacidade de governar o país já inscreveram seu nome como a pior administração da história republicana. Recebe inestimável ajuda para esse “prêmio” dos políticos, cúmplices da corrupção quase todos, e os demais pensando apenas na manutenção de benesses e cargos. O teor das denúncias contra o ex-presidente Lula é de tal forma contundente e comprovado que em qualquer país com um mínimo de seriedade ele já estaria preso e seus bens, arrestados.
A maior prova de culpa contra o patriarca da família Lula da Silva foi este pedido de liminar para ele e a mulher não prestarem depoimento. Tanto quem entrou com o pedido de liminar como quem a concedeu são exemplos da escória política e jurídica do Brasil. Lula e Marisa não irão depor, salvos por um miraculoso habeas corpus. Não existe confissão tão cabal de culpa do que não querer depor. Quem é inocente não precisa se esconder.
Qual a razão do temor do ex-presidente Lula em prestar depoimento sobre os seus supostos imóveis? Protelar esse encontro com a Justiça por meio de liminares reforça a impressão que tem algo de errado em tudo isso.
Lula é ex em tudo. Colocar a máquina do governo para defendê-lo é abuso de poder. Lula é cidadão comum, tem seu próprio advogado. Cabe a eles a sua defesa. Mas fica evidente que se o “líder” cair todos o camaradas cairão. Por isso, a insistência na defesa governamental. Presidente e ministros usarem o seu tempo de mídia para defender Lula é inaceitável e inacreditável.
A liminar suspendendo o depoimento do ex-presidente Lula e de sua esposa, Marisa Letícia, sobre o tríplex em Guarujá foi um tiro no pé. Teria sido uma ótima oportunidade de Lula vir a público e explicar que ele não seria nem o dono nem beneficiário das reformas feitas na cobertura, bem como o motivo das visitas de sua esposa e de seu filho, conforme relato de testemunhas. A tentativa de se transformar um inquérito mais do que justificável em ato político visa a desqualificar a Justiça, num atentado contra a democracia e o estado de direito.
Diz o dito popular: “quem não deve não teme” e eu acrescentaria o óbvio ululante: mas quem deve, teme!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.