14 de julho de 2024
Adriano de Aquino

Putin repete com Maduro o que Stalin tentou com os chineses

Foto: Google Imagens – Resistência

Envia tropas, aviões de combate e tanques. Comida e medicamentos, não!
Stalin, por sua vez, promovia a dependência chinesa aos domínios da União Soviética. Mas, como os chineses não são tapados e ignorantes como Maduro e seus correligionários ou mesmo festivos, como os desnorteados apoiadores brazucas, a Rússia se deu mal.

O conflito fronteiriço sino-soviético de 1969 foi uma série de confrontos armados entre a União Soviética e a República Popular da China nos anos 1960, causada pela competição entre os dois modelos de comunismo. A revolução chinesa precisava de comida e suporte técnico para exploração de petróleo ao longo da fronteira da Sibéria com a Mandchúria. Os russos não enviavam comida mas, enviavam óleo lubrificante para as perfuratrizes fabricadas por eles.
A sabotagem russa era enviar lubrificante leve para as estações mais frias e lubrificante mais pesado para estações mais quentes. O uso inadequado dos lubrificantes estragava as perfuratrizes.Os chineses sacaram a sacanagem.
Fingiam que perfuravam mas paralisaram por um tempo a exploração de petróleo.Controlaram o estoque e após duas estações os chineses usaram o lubrificante certo para a estação.
Com o tempo foram dispensando o fornecimento russo. Stalin esbravejou de ódio no seu sinistro mausoléu.
Putin está usando com Maduro o que aprendeu na KGB.
Vai sugar todo petróleo venezuelano em troca de material bélico e consultores militares. Matar o povo de fome, se livrar do Maduro e depois enviar seus técnicos para administração da estatal petroleira.

Estrategicamente Putin visa, não apenas o petróleo, mas a coordenação do fornecimento dele para seus ‘aliados’ e o corte para os potenciais inimigos e discordantes,como a China.
Ocorre que, mesmo com o embargo, as petroleiras dos EUA colocam por dia 60 milhões de dólares na conta da Venezuela. Putin não tem essa grana mas, tem ganas.
E o apoio da China a esse verme? Discreto! Grana adiantada para garantir remessa de petróleo. Não enviam tropas, navios de guerra e caças de combate.

Adriano de Aquino

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *