Suzuki Swift GTI em test-drive de 1993

Volto a usar o “túnel do tempo” para resgatar uma foto de meus primeiros quilômetros como jornalista automotivo. Nesta, acima, faço pose ao ao lado de um Suzuki Swift GTI”, em 1993. Como já contei aqui, achei um conjunto de “slides” enquanto arrumava as tralhas de casa, aproveitando o recolhimento do distanciamento social. As imagens são todas do comecinho dos 1990s, feitas durante meus primeiros test-drives, para a antiga revista Ele Ela, onde trabalhava como redator e “multicolunista” – escrevendo, entre outros assuntos, sobre música, gastronomia, cinema, turismo…

O Brasil acabara de reabrir as importações de automóveis e recebi a missão de criar uma seção fixa sobre carros para a publicação. O trabalho era bem divertido e, também, o começo da realização de um sonho de criança: poder dirigir vários carros diferentes.

No caso desse Suzuki, tratava-se da versão esportiva da linha popular da montadora japonesa – que, além desse, trouxe para cá, também, opções com motor 1.0 de três cilindros (já naquela época) e quatro portas, com transmissão automática. Isso além dos jipinhos Samurai e Vitara.

Meu test-drive se limitou a um dia: peguei o carrinho na concessionária pela manhã e devolvi no final da tarde.

Na memória, ainda trago a sensação de dirigir um kart melhorado, com direção pesadinha, posição de dirigir bem baixa e um delicioso ronco de motor. Motor, aliás, que tinha apenas (para os padrões de hoje) 101cv de potência e 11,5 “quilos” de torque (veja a ficha técnica completa no final deste post). Mas que eram suficientes para fazer com que aquele modelinho de 860kg fosse bem divertido. Todo justinho, ele fazia curvas muito bem, dando aquela sensação de derrapagem controlada nas mais fechadas (os pneus não eram lá muito largos). O câmbio era bem bonzinho e os freios chegavam a impressionar.

No mais, era um carro extremamente simples, com (pouco) espaço para quatro pessoas, linhas retinhas e uma vocação quase irresistível para manobras rápidas, inclusive no trânsito.

Não faz muito tempo, fotografei um desses GTIs aqui no Rio (acima), estacionado na rua, para a nossa página dos Carros do Rio, no Facebook. Importado em quantidades modestas, porém, ele é bem raro nas nossas ruas. Encontrar um desses inteiro, então, é mais difícil ainda. Pelo que pude pesquisar, não é um carro muito valorizado, pelo menos ainda, por colecionadores. Taí, se aparecesse um desses, ficaria tentado a levar para a minha garagem.

Ficha técnica (dados do fabricante) – Suzuki Swift GTI 1993

Origem: Japão

Motor: Dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha com 16 válvulas, Injeção multiponto, 1.298 cm³ (1.3)

Potência: 101cv

Torque: 11,5 kgfm

Câmbio manual de 5 marchas, tração dianteira

Direção mecânica (sem assistência)

Suspensão: Dianteira: tipo McPherson com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidais; traseira: com braços triangulares e barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidais.

Freios: a disco (ventilados na dianteira, sólidos na traseira)

Dimensões (mm): altura 1.350, largura 1.585, comprimento 3.745, entre-eixos 2.265.

Rodas e pneus: 175/60 R14

Peso: 860kg

Capacidades (litros): tanque de combustível 40, porta-malas 250

Desempenho: velocidade máxima: 188 km/h, aceleração de 0 a 100 km/ em 10,5 segundos.

Fonte: Blog Rebimboca

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *